Pedalar é bom. Mas tome cuidado com o joelho.

As bicicletas estão na moda. Tem sido frequente ver a moçada engajada na salvação do planeta indo e vindo de “bike” como alternativa de transporte.

Há quem nunca tenha aprendido a se equilibrar em cima de uma, mas aqueles que passaram a infância e talvez outras idades em cima de duas rodas sabem que, além de fazer bem para a saúde, andar de bicicleta é um grande prazer.

Se você tem pensando em reativar esse hábito tão gostoso e saudável leia aqui algumas dicas imprescindíveis para evitar dores e lesões futuras.

Vários fatores devem ser avaliados para que o ato de andar de bicicleta seja proveitoso e seguro. Dores no joelho são, provavelmente, a queixa mais frequente entre os ciclistas, juntamente com dores na região lombar.

Abaixo vamos indicar os vários ajustes necessários para que o ciclista não desenvolva um problema de joelho.

O Selim

A altura inadequada do selim pode provocar dores na frente do joelho (região patelar, antiga rótula). Quando o selim está baixo, o joelho flexiona demais, e o excesso de flexão comprime as estruturas da articulação. A posição ideal do selim é na horizontal e em uma altura que permita que o joelho fique ligeiramente dobrado. Há uma outra medida para ajustar a altura: o joelho não deve flexionar mais que 90° no ponto mais alto do arco da pedalada. Além disso, é importante que o quadril não oscile durante o movimento.

Desvios posturais

A posição dos joelhos em relação à linha média imaginária do corpo também é importante. Se, caminhando, seus joelhos são excessivamente para dentro (valgos) ou para fora (varos) isso interferirá ao andar de bicicleta. A correção da postura com um profissional especializado evitará uma lesão futura.

Cadência

Pedalar empregando baixa cadência de rotação, em marchas pesadas, e aumentos na carga de treinamento (volume ou intensidade) de maneira não-gradual também pode causar problemas. Se a sua bicicleta não é de marcha, evite ladeiras e evolua lentamente, tanto no tamanho do percurso quanto na inclinação do terreno. O ideal é trabalhar na frequência de cadência em torno de 70 pedaladas por minuto.

Saiba que o joelho é uma estrutura delicada que merece cada vez mais atenção com o avançar da idade. Lesões por esforço repetitivo no uso da bicicleta podem impossibilitar a prática por muito tempo, assim como, atingir outras regiões importantes como o tendão do calcâneo (de Aquiles), virilhas e pés.

Não se esqueça: antes de sair pedalando, faça uma série de alongamentos nas pernas.

Se possível, faça um trabalho de fortalecimento dos músculos da coxa e da panturrilha.

Se houver qualquer dor depois de pedalar, procure um médico especialista para avaliação.