Publicado em

POR QUE USAR ÓCULOS DE CICLISMO PARA PEDALAR ?

O uso de alguns equipamentos para pedalar vai além de um fator meramente estético. Funciona como um item de segurança muito necessário. Os óculos para ciclistas comprovam essa afirmação, mesmo para quem quer fazer um pedal leve.

Apesar de inúmeros ciclistas abrirem mão de usarem este acessório, o seu uso é essencial para pedalar com segurança. Os óculos são importantes em pedais por trilhas, cidades, e em qualquer outro terreno sob duas rodas.

Independentemente da distância, sair para um pedal é sempre uma aventura. E, como em todo passeio, há riscos embutidos. No pedal, os riscos se apresentam a todo instante depois que você está em cima da bike.

Vento, poeira, insetos, detritos que voam pelo caminho depois que seus amigos ultrapassam você. São muitas as possíveis situações incômodas presentes em pedais, e sua cara está exposta a todos elas. Já sabe quem vai te proteger? Sim, os óculos de ciclismo!

A principal função deles é a proteção dos olhos, órgãos extremamente sensíveis do nosso corpo e que estão expostos. Eles resguardando seus olhos da intensidade da luz e de toda sujeira do ambiente. Com o vento batendo na cara, em baixa ou alta velocidade, você está sujeito a receber nos olhos, qualquer detrito, pedrinha, insetos, e objeto minúsculo.

Em uma trilha, estes perigos aumentam. É um ambiente cheio de árvores e pedras, que em uma queda podem ferir gravemente seus olhos.

Os óculos para ciclistas também funcionam como uma proteção contra a luminosidade, que por vezes atrapalha seu pedal. Usar óculos adequados fará você ficar despreocupado com estes problemas e aproveite muito mais o treino, fazendo com que sua pedalada seja muito melhor! 

CONHEÇAM ALGUMAS CARACTERÍSTICAS:

ARMAÇÃO

A armação de óculos para ciclismo pode ser feita de diversos materiais, entre eles o plástico, o nylon, e até a fibra de carbono — para ciclistas que querem menos peso no pedal!

Além dos tipos de materiais, o formato e design também contam como importantes recursos de óculos para pedalar. Alguns modelos possuem hastes largas enquanto outros mais finas, e com vantagens como ajustes, e furos, para ajudar na ventilação no rosto.

O recurso da narigueira também é muito válido em um bom par de óculos, já que torna seu uso mais confortável, e diminui o estresse na região, causado pelo aperto dos óculos no nariz.

Há armações também que permitem a troca de lentes, um importante fator que proporciona a adaptação de novas lentes de acordo com a iluminação do dia!

LENTES

As lentes dos óculos para ciclistas cumprem a missão de proteger os olhos de qualquer sujeira que vá de encontro com eles durante um pedal. Além disto, elas devem ter proteção UV, para resguardar seus olhos dos raios ultravioletas do sol.

Um recurso interessante e muito útil que alguns modelos de lentes usam são pequenos furos, para ventilar a região. Isso evita o embaçamento delas. A proteção antirrisco também é mais um bom recurso de algumas lentes, que as protegem de pequenos riscos causados por detritos que batem nelas.

Além destes diferenciais que um par de lentes deve ter para garantir uma boa proteção aos seus olhos, as lentes intercambiáveis são de extrema ajuda para os pedais.

Conheça cada uma e suas vantagens:

  • Lentes escuras: ideais para o sol intenso e dias muito claros, em que a incidência de luz é grande.
  • Lentes claras: para dias nublados, e com pouca luminosidade. Também podem ser usadas à noite.
  • Lentes fotocromáticas: atendem pedais diurnos e noturnos, já que escurecem ou clareiam de acordo com a luz ambiente.
  • Lentes amarelas: são ótimas para pedais à noite, pois deixam o ambiente e qualquer objeto claro aos olhos.

Para escolher os óculos há diferentes marcas e modelos, cada qual com seus diferenciais e valores. Mas, sabendo que um par de óculos para ciclistas deve ter alguns destes recursos básicos, é possível fazer uma boa escolha e deixar seus pedais mais seguros e divertidos!

Fica a dica e pedale com segurança!

Publicado em

Dicas para pedalar nos períodos de calor

Pedalar no calor é ao mesmo tempo uma delícia e um transtorno, pois as altas temperaturas podem deixar seu rolê desconfortável e menos prazeroso.

Todo ciclista experiente sabe que para esta atividade é sempre bom pedalar no início da manhã ou no final da tarde. Até aí, nada de novo!

Com o calor e a exposição ao sol muitos pensam em vestir menos roupa, mas podem cometer um grande erro. Portanto escolha roupas que tenham cortes que se adequam ao seu corpo, que facilite os movimentos e aquelas confeccionadas com material que facilita a transpiração como o dryfit.

O uso de manguito também é recomendado, mas se você não aguenta mesmo, não se esqueça do protetor solar ele é um item indispensável, não dá para brincar com a pele, os riscos de insolação, queimaduras e câncer de pele são reais, então procure o melhor tipo de protetor solar para sua pele.

O ar seco, principalmente associado à poeira, causa ressecamento nos olhos, use óculos escuros. Algo que é incomodo para quem transpira nas mãos são as luvas, mas não se esqueçam delas, e é claro o mais importante, o capacete, proteção sempre.

Alimentação e Hidratação:

A alimentação não pode ser pesada, mas também não se deve sair de casa sem comer, a alimentação equilibrada, composta de carboidratos, proteínas e frutas é ideal, se o pedal for longo, leve também um lanche como barra de cereal ou proteína, carboidrato em gel, frutas desidratadas, só não vale ficar sem comer.

Com o sol forte e horas de pedal a sensação de tontura e cansaço pode ter nome: falta de comida e falta de água.

A hidratação começa antes, em casa com o hábito normal de ingerir líquido, mas durante o pedal precisamos ainda mais pelo esforço que realizamos e pela perca na transpiração, por isso não tem essa de não querer carregar caramanhola ou mochila de hidratação, no verão o desgaste é muito maior precisamos manter o corpo hidratado. Sobre a quantidade, ela varia de pessoa para pessoa, observe como seu corpo se comporta e na dúvida leve a mais nunca sabemos o que pode acontecer. Após o pedal isotônicos e sucos completam o processo, desidratação também pode ocorrer após a atividade física, o habito de beber água deve ser constante.

E também não esqueça de deixar sua bike sempre em condições de uso. Faça a manutenção preventiva e pedale com segurança. Deixe sua bike com quem entende, venha para a Indy Bike e aproveite o pedal!

Publicado em

Dicas para pedalar nos períodos de calor.

Pedalar no calor é ao mesmo tempo uma delícia e um transtorno, pois as altas temperaturas podem deixar seu rolê desconfortável e menos prazeroso.

Todo ciclista experiente sabe que para esta atividade é sempre bom pedalar no início da manhã ou no final da tarde. Até aí, nada de novo!

Com o calor e a exposição ao sol muitos pensam em vestir menos roupa, mas podem cometer um grande erro. Portanto escolha roupas que tenham cortes que se adequam ao seu corpo, que facilite os movimentos e aquelas confeccionadas com material que facilita a transpiração como o dryfit.

O uso de manguito também é recomendado, mas se você não aguenta mesmo, não se esqueça do protetor solar ele é um item indispensável, não dá para brincar com a pele, os riscos de insolação, queimaduras e câncer de pele são reais, então procure o melhor tipo de protetor solar para sua pele.

O ar seco, principalmente associado à poeira, causa ressecamento nos olhos, use óculos escuros. Algo que é incomodo para quem transpira nas mãos são as luvas, mas não se esqueçam delas, e é claro o mais importante, o capacete, proteção sempre.

Alimentação e Hidratação:

A alimentação não pode ser pesada, mas também não se deve sair de casa sem comer, a alimentação equilibrada, composta de carboidratos, proteínas e frutas é ideal, se o pedal for longo, leve também um lanche como barra de cereal ou proteína, carboidrato em gel, frutas desidratadas, só não vale ficar sem comer.

Com o sol forte e horas de pedal a sensação de tontura e cansaço pode ter nome: falta de comida e falta de água.

A hidratação começa antes, em casa com o hábito normal de ingerir líquido, mas durante o pedal precisamos ainda mais pelo esforço que realizamos e pela perca na transpiração, por isso não tem essa de não querer carregar caramanhola ou mochila de hidratação, no verão o desgaste é muito maior precisamos manter o corpo hidratado. Sobre a quantidade, ela varia de pessoa para pessoa, observe como seu corpo se comporta e na dúvida leve a mais nunca sabemos o que pode acontecer. Após o pedal isotônicos e sucos completam o processo, desidratação também pode ocorrer após a atividade física, o habito de beber água deve ser constante.

Seguindo essas orientações o pedal fica mais seguro. Aproveite!

Publicado em

Vai começar a pedalar? Então veja essas dicas!

O trânsito cada vez mais caótico das grandes e pequenas cidades em todo o Brasil faz com que o número de pessoas que estão trocando seus carros pelas bicicletas aumente muito a cada dia.

Se você está querendo se tornar um ciclista, independente do motivo, tomar alguns cuidados e seguir algumas dicas pode ajudar a economizar dinheiro e tornar sua experiência muito mais agradável.

Confira algumas dicas.

Compre uma bicicleta adequada.

Você pode, mas não precisa investir de cara em uma bike top de linha para começar a pedalar.

Antes de comprar a sua bicicleta, caso você ainda não tenha uma, é necessário definir qual o tipo de ciclismo que você pretende praticar.

Para quem quer apenas passear pelos parques e ruas da vizinhança, uma bicicleta simples que pode ser encontrada em qualquer loja é mais do que suficiente.

Já para aqueles que querem participar de competições, ou percorrer trilhas, é necessário um tipo de bicicleta específico para cada uma dessas práticas, que provavelmente demandará um investimento um pouco maior.

Utilize acessórios e roupas ideais para a prática do ciclismo.

É claro que você pode simplesmente montar na sua bicicleta e sair pedalando por aí sem se preocupar com o que estamos dizendo nesse artigo.

Mas para quem quer realmente se tornar um ciclista, utilizar equipamentos e acessórios que tornam a prática do ciclismo mais confortável e segura.

O primeiro item obrigatório de todo o ciclista é o capacete. Procure um modelo que tenha boa ventilação e seja confeccionado com material de excelente qualidade.

Camisetas, óculos e luvas também fazem parte do traje do ciclista, e precisam ser sempre de material de boa qualidade. Procure sempre os produtos que sejam mais leves, ventilados e resistentes.

Aprenda mecânica básica.

Você não precisa se desesperar e procurar um curso de mecânica para só depois começar a pedalar.

O que você precisa é saber fazer alguns reparos simples e básicos que podem te ajudar a não ficar em uma situação complicada.

Aprenda a trocar ou consertar uma corrente, reparar ou substituir um pneu ou uma câmara de ar e fazer regulagens de câmbio e freios.

Com esses reparos básicos dificilmente você vai ter de voltar para casa empurrando sua bicicleta e correndo riscos desnecessários dependendo da região onde você se encontra.

Entenda quais são os seus limites.

Esse ponto é extremamente importante, e caso isso não fique claro para você a sua experiência com o ciclismo pode ser desastrosa.

Lembre-se que você é um iniciante, então não existe uma razão para querer começar percorrendo um Tour de France, ou participando de uma prova em uma pista de corrida no escuro.

O ideal é iniciar com percursos curtos, em regiões já conhecidas. Assim você começa a fazer com que seu corpo se habitue ao tipo de exercício físico realizado durante o tempo em que você está pedalando.

Agora é hora de preparar sua bike e sair pedalando com segurança e aproveitando ao máximo. E lembre-se de sempre fazer uma manutenção periódica na sua bike, ela vai ajudar a ter mais segurança durante os pedais.

Publicado em

Confira 5 acessórios para bike que todo ciclista deve ter.

Quem gosta de andar de bicicleta sabe que ter os acessórios certos pode fazer toda a diferença. Seja na trilha ou na estrada, uma bike bem equipada é sinônimo de conforto e de segurança. O básico você já conhece: capacete, retrovisor, óculos ou viseira e luvas. Porém, há diversos outros itens que fazem toda a diferença para quem gosta de pedalar.

Pensando nisso, preparamos uma lista com os cinco acessórios para bike que não podem faltar nas suas pedaladas. Confira!

1. Faróis

Mesmo se você não tenha o hábito de pedalar à noite, os faróis são itens indispensáveis para a sua bike. Os faróis dianteiros e traseiros são itens obrigatórios de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro e são muito importantes para aumentar a sua visibilidade à noite e ao anoitecer, além de tornar a sua bike mais visível para outras pessoas e, principalmente, para outros veículos.

Para o farol frontal, opte por modelos com ampla visibilidade e luzes de LED, que são econômicas e eficientes.

2.Bolsa de selim

A bolsa de selim é um acessório indispensável para quem quer ter mais segurança na hora de pedalar. Ela pode ser usada para guardar uma câmara sobressalente, que é um item de segurança indispensável para quem pedala e, em alguns casos, sobra espaço até para uma bomba de ar compacta.

Além disso, você pode levar adesivos de remendo para reparos rápidos nos pneus e o kit de ferramentas — outro acessório para bike indispensável.

3.Kit de ferramentas

Um ciclista bem prevenido não fica a pé. Por isso, é importante manter um kit básico de ferramentas na bike. Você pode optar por kits de ferramentas no formato canivete, que possuem todos os itens que você precisa para fazer um reparo emergencial na sua bike, ou kits com várias peças.

Os modelos multiuso do tipo canivete, em geral, são mais práticos para carregar na bike. Além do kit de ferramentas, também é bom carregar um canivete suíço — principalmente se você pratica mountain bike e vive pedalando em trilhas.

4.Bomba

A bomba de ar complementa o rol de acessórios para bike indispensáveis para a sua segurança. Há modelos bem compactos que podem ser armazenados na bolsa de selim ou afixadas em um suporte no quadro da bicicleta.

Dê preferência para os modelos de bomba com trava de válvula de câmara, que possam ser usadas em bico grosso ou fino. Os modelos double shot são uma alternativa eficiente e compacta.

5.Hidratação

Levar uma garrafa de água é fundamental em qualquer pedalada, concorda? Mas não caia na tentação de comprar um suporte qualquer. Dê preferência para modelos de fácil encaixe, leves e resistentes.

Já a garrafa — também chamada de caramanhola — deve ter o bico largo, ser fácil de abrir e fechar e ser de um material que não dá cheiro ou gosto na água.

Outra opção para pedaladas longas é a bolsa de hidratação: uma mochila térmica com uma bolsa d’água interna e um tubo que fica preso nas alças, ao seu alcance.

Além desses acessórios, também vale a pena investir em um ciclo-computador para registrar as suas pedaladas e acompanhar sua performance. Com essas dicas de acessórios para bike você vai pedalar com mais conforto e segurança.

Se você ainda não tem algum desses acessórios ou deseja trocar por um modelo mais novo, visite uma de nossa lojas físicas ou compre pelo site: https://loja.indybike.com.br/ e faça sua compra.

Temos também toda a linha de acessórios e roupas, além de uma oficina especializada para você pedalar com mais segurança. Pedale sempre com segurança!

Publicado em

Ajuste do selim: os problemas quando mal feito e como resolvê-los.

Um dos pontos mais importantes a ser observado na regulagem da bicicleta é o ajuste do selim.

A prática do ciclismo é mais segura, em longo prazo, quando comparada a esportes como a corrida. Boa parte das lesões que acontecem no pedal decorre de acidentes. Traumas relacionados ao esforço repetitivo são menos comuns e severos que os verificados em corredores. No entanto, são frequentes os erros de posicionamento do ciclista sobre a bicicleta, o que acaba gerando desconforto e dores, podendo evoluir para lesões com o passar do tempo caso o problema não seja tratado e corrigido devidamente. Um dos pontos mais importantes a ser observado na regulagem da bicicleta é o ajuste do selim. Vamos explicar abaixo, as consequências de um ajuste do selim mal feito e como corrigir o problema.

Erro: selim muito baixo

Influência na pedalada – aumento da tensão no tendão patelar; sobrecarga da musculatura estabilizadora do quadril; pressão excessiva dos pés nos pedais, com o tornozelo muito baixo no ponto inferior da pedalada; flexão exagerada do quadril.

Lesões decorrentes – dores na parte anterior dos joelhos; dores lombares; tendinite nos glúteos; dores no quadril (atletas com lesões de labrum preexistentes).

Correção – flexão de joelhos no ponto alto da pedalada (contrarrelógio): até 110°; -flexão de joelhos no ponto alto da pedalada (estrada): até 115°.

Erro: selim muito alto (ou pedivela muito longa)

InfluêncIa na pedalada – estiramento excessivo dos músculos posteriores das coxas; mau posicionamento pélvico no selim; excesso de trabalho dos tornozelos.

Lesões decorrentes – irritação do trato iliotibial (ITBS); lesões nos músculos isquiotibiais; dores lombares.

Correção – extensão de joelhos no ponto baixo da pedalada (contrarrelógio): 37° a 42°; extensão de joelhos no ponto baixo da pedalada (estrada): 35° a 40°.

Para pedalar com qualidade e segurança faça sempre os ajustes necessários em sua bike. Conte com a ajuda de especialistas no assunto. Conte com a Indy Bike.

Publicado em

O inverno chegou! Veja algumas dicas para pedalar no frio.

Pedalar no frio, para muitos, é como enfrentar uma estrada cheia de pregos. O clima gelado desanima, o vento “corta” o rosto e o corpo parece não responder subitamente aos seus comandos. Porém, há boas maneiras de amenizar as influências do tempo e curtir a pedalada com a sua bicicleta ao máximo.

Separamos, abaixo, algumas dicas para você que quer pedalar no frio com mais conforto e segurança.

ROUPAS PARA PEDALAR NO FRIO

A roupa é o fator mais importante quando o assunto é pedalar no frio. Apesar de parecer algo complexo, é um tanto quanto simples. Muitas pessoas imaginam ser preciso usar blusas grossas e agasalhos impermeáveis de última geração. Isso pode ser necessário quando se encara neve ou um clima extremamente gelado, abaixo de zero.

Em um frio mais ameno, esse tipo de roupa fará com que o ciclista transpire muito. O suor, então, umedece a roupa e a deixa molhada, causando, assim, um grande desconforto. Portanto, indica-se, no geral, usar várias camadas de vestuário específico para ciclismo.

Camiseta dry fit, que consegue absorver o suor, jaqueta leve feita exclusivamente para ciclista e colete corta-vento despontam como uma ótima combinação para pedalar no frio. Manguitos e pernitos também são excelentes alternativas. Há quem prefira usar calças produzidas especialmente para ciclistas e a bermuda por cima. Os pernitos, no entanto, oferecem maior versatilidade.

LUVAS, ÓCULOS E BALACLAVA

Além da roupa, há vários outros acessórios que é possível utilizar para pedalar no frio. Óculos, por exemplo, evitam que os olhos fiquem úmidos por causa do vento gelado. Toucas e até mesmo balaclavas ajudam a proteger a cabeça. Bandanas costumam ser utilizadas para proteger o pescoço. Alguns ciclistas a levantam até a boca para que o rosto fique bem aquecido.

Luvas são uma parte importante, pois as extremidades do corpo são as áreas mais suscetíveis a esfriar primeiro. Uma boa dica são as luvas de dedos longos, usadas no mountain bike.

AQUECIMENTO PARA PEDALAR NO FRIO

O aquecimento é importante antes de qualquer pedalada, e é ainda mais no inverno, já que o seu corpo está bem frio.

No frio, é comum sentir as pernas mais pesadas e dores. Além disso, o risco de sofrer lesões aumenta. Dependendo da idade do ciclista e do tipo de pedal, pode ser preciso um período maior de treino.

ALIMENTAÇÃO

Em baixas temperaturas, o corpo gasta energia tanto para pedalar como para manter-se aquecido. Portanto, o esforço é ainda maior. É importante manter uma alimentação bem equilibrada, até mesmo para evitar uma baixa no sistema imunológico. Frutas, como banana, barra de cereal e gel de carboidrato são boas opções.

Além disso, é preciso ficar sempre atento com a hidratação. No frio, muitas pessoas se esquecem de tomar água, o que prejudica o seu rendimento e a sua recuperação. Lembre-se de levar garrafinhas em sua bicicleta para pedalar no frio.

ATENÇÃO COM A BICICLETA

A bicicleta deve estar sempre em boas condições, mas ainda mais no inverno. Com o frio, é normal que os cabos se contraiam e afetem o ajuste dos câmbios. Ressaltamos a importância de dar uma atenção especial às peças móveis, como a corrente, por exemplo. Mantenha-a sempre bem lubrificada.

Orientamos também verificar com cautela desgastes nos aros e nos freios, já que o tempo úmido pode prejudicar substancialmente essas áreas. Além disso, lave, sempre que possível, a sujeira acumulada. Fique atento, também, aos pneus. Usar uma pressão mais baixa pode absorver melhor os impactos e evitar dores e dormência nas mãos e pernas, o que é comum no frio.

Cuide da sua saúde e pedale com cautela!

Publicado em

Segurança em primeiro lugar: 9 dicas para você pedalar seguro.

A bicicleta é um meio de transporte saudável e cada vez mais utilizado pelas pessoas, não só para emagrecer, mas também para driblar o trânsito das grandes cidades. Só que pedalar nos centros urbanos, em meio ao tráfego de veículos e de pedestres, pode ser bastante perigoso. Que tal conhecer algumas dicas para pedalar nas ruas com mais segurança?

1. Verifique as condições de sua bicicleta.

Sempre que for sair para pedalar, antes verifique, sobretudo, como estão os pneus e os freios, a fim de saber se tudo está em perfeito funcionamento. Procure conferir o maior número possível de itens, também o guidom, as rodas e correntes.

2.Use equipamentos de segurança.

Principalmente para quem vai circular no trânsito, passando por veículos motorizados, é muito conveniente o uso de capacetes, luvas e óculos de proteção. Existem ainda roupas próprias para pedalar, que são acolchoadas e com cores chamativas que deixam os ciclistas mais visíveis para os motoristas.

3.Prepare a bicicleta para o seu tamanho.

Quando tiver cedido a bicicleta para outra pessoa, ou for emprestada, faça os ajustes necessários para que ela se adapte ao seu tamanho e alcance de braços e pernas. O selim, por exemplo, não pode ficar muito baixo, pois os joelhos do condutor precisam ficar levemente flexionados quando o pedal estiver na posição mais baixa.

4.Use peças de sinalização noturna.

Nunca deixe de usar itens como faroletes ou sinalização refletiva na sua bicicleta, caso você for um ciclista adepto dos passeios noturnos ou precise enfrentar o tráfego depois do entardecer.

5.Não pedale na contramão.

Muitas pessoas pensam que, ao pedalarem na contramão, poderão ver melhor os carros que vêm no fluxo contrário. Porém, seguir o fluxo normal de automóveis faz com que os ciclistas cheguem mais rapidamente aos seus destinos e proporciona um melhor tempo de reação nos casos de acidentes e colisões traseiras. Consta que, inclusive, os sinistros ocorridos em favor do fluxo são em menor quantidade, e os danos gerados para o corpo dos ciclistas atingidos serão também menores, porque seu movimento estará no mesmo sentido do que o carro.

6.Planeje bem suas rotas.

É importante que sejam conhecidas rotas secundárias, caso o trânsito esteja muito intenso no horário, e circular sempre ao lado direito das vias, com razoável distância dos meio-fios.

7.Sinalize sempre.

Os carros têm luzes especiais para indicar quando seus motoristas pretendem dobrar uma rua ou esquina. Já os ciclistas devem indicar essas intenções de manobras com gestos bem amplos, a serem feitos com os braços.

8.Mantenha-se hidratado.

O ideal é que o ciclista beba bastante água antes, durante e depois de pedalar, para seu organismo ficar bem hidratado.

9.Procure pedalar em grupos.

É interessante estar junto a um grupo de ciclistas, se isto for possível e todos estiverem indo para destinos próximos. O grupo ficará mais visível para os motoristas e, caso ocorra algum acidente, os companheiros de bicicleta poderão ajudar.

Agora que você já conhece algumas sugestões importantes para pedalar com mais segurança, coloque sua bike na rua e seja um ciclista consciente e bem protegido!

Mas também não esqueça de manter a sua bike sempre bem revisada para evitar problemas durante o pedal. Agende uma revisão com a Indy Bike e pedale com segurança.

Publicado em

Como regular seu capacete de ciclismo.

Todos sabemos que o capacete é o equipamento de segurança muito importante. Porém, para que ele funcione corretamente, é preciso que seu ajuste seja perfeito. Por isso, confira nossas dicas e pedale com mais segurança.

1 – Escolha o tamanho correto

O primeiro passo é escolher o tamanho correto do capacete. Embora cada fabricante tenha uma especificação, a tabela a seguir funciona em linhas gerais. Para medir sua cabeça, use uma fita métrica passando pelo centro da testa, aproximadamente dois dedos acima da orelha e contorne a cabeça até encontrar a outra ponta. O tamanho pode ser encontrado na parte interna do capacete (etiqueta).

XS (X-small) – extra pequeno / em torno de 47cm a 50cm de diâmetro

S (small) – pequeno / em torno de 51cm a 55cm

M (medium) – médio / em torno de 55cm a 59cm

L (large) – grande / em torno de 59cm a 63cm

XL (X-large) – extra grande / 63cm a 66cm

 

2 – Se possível, coloque o capacete

Alguns capacetes possuem um molde mais oval, já outros são mais arredondados. O ideal é vestir o capacete para ter certeza que ele se ajusta a sua cabeça. A dica é deixar o sistema de retenção totalmente aberto para certificar-se que o capacete, e não a retenção, possui o formato correto para sua cabeça.

3 – Ajuste a trava

Hoje em dia, a maioria dos capacetes possui um sistema de retenção. Por isso, o primeiro passo é apertá-lo o suficiente para que o capacete assuma a posição correta na sua cabeça – que deve ser centralizado, nem muito para baixo e nem muito para cima.

4 – Ajuste a tira

Ajuste as tiras para que não fiquem tortas ou dobradas. Feito isso, regule o comprimento da tira na trava de forma que seja possível passar três dedos por baixo dela.

5 – Ajuste o Y

Depois, ajuste o Y das tiras de forma que tanto a dianteira quanto a traseira fiquem igualmente tensionadas. Lembre-se que ela deve ficar tensionada para que o capacete não se movimente em tombos. O divisor das fitas deve ficar a cerca de dois dedos da sua orelha.

Os capacetes de bicicleta são itens fundamentais para a segurança nas diversas modalidades do esporte e também no uso da bicicleta como meio de transporte. Use-o devidamente ajustado e fique seguro ao pedalar!

Publicado em

Rolo de treino indoor. Uma ótima solução para pedalar em meio a crise do Coronavírus.

Fazer um pedal nos dias atuais onde estamos passando por uma crise na saúde com a pandemia de Coronavirus não é aconselhado devido a propagação e riscos de contaminação. Tudo isso parece dificultar a sua vida de ciclista, mas se você souber das vantagens que os rolos de treino têm para cada dessas e outras situações, vai virar fã deles.

Você já deve ter visto ciclistas usando equipamentos para pedalar “parados” em cima da bike, para se aquecer enquanto não partem para a linha de largada de uma prova.

Esses itens usados para essa hora são conhecidos como rolos de treino, peças fundamentais para o ganho de performance e manutenção do condicionamento físico.

Os rolos de treino são peças feitas para ciclistas usarem como apoios aos treinos nas trilhas e estradas.

Ao simular a pedalada nesses locais, o equipamento condiciona o físico de maneira similar aos pedais nas ruas. Nem que seja só pelo movimento de pedalar e pela intensidade e resistência.

Também, esses equipamentos são ideais para fazer um treino regenerativo, só para soltar as penas depois de um intenso dia de pedal.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE ROLOS DE TREINO?

SOLTO

Os rolos de treino soltos são bem simples, feitos em aço ou outros materiais, sem nenhum sistema de ajuste de engate para a roda traseira ou de resistência para rodar.

Basta colocar a bike em cima do rolo, se equilibrar e fazer o seu pedal durante o tempo que você ou seu treinador estabelecer. Há modelos para rodar apenas a roda traseira como as duas, para garantir uma simulação mais próxima do pedal na rua.

MAGNÉTICO

São rolos robustos que se enquadram em um nível intermediário de equipamento. Oferecem a vantagem de serem silenciosos e bastante funcionais, mas ainda assim não atendem a treinos que precisam de mais recursos, como a resistência na rolagem.

HIDRÁULICO

Oferecem ajustes precisos de resistência para a roda traseira e contam com sistema de fixação e suporte mais robustos. Em geral, são os melhores rolos do mercado, por isso têm valor maior.

Há uma série de vantagens acopladas ao uso de um rolo de treino em seu pedal. Eles são muito voltados aos ciclistas que buscam aumento de performance em curto prazo. Ou mesmo, praticar uma atividade física em casa, para começar a entrar no ritmo do pedal.

Em ambos casos e em outros, os ganhos são os mesmos.

Fato é, em todos os casos, os rolos de treino garantem um excelente exercício físico, seja se você quer pegar leve ou pesado na bike.

O importante agora e seguir as orientações dos Orgãos de Saúde Pública e ficar em casa afim de evitar aglomerações e contato com outras pessoas.

Vamos cuidar da saúde, mas sem deixar de praticar exercícios físicos. Da para pedalar em casa e tirar proveito dessa crise.