Publicado em

Confira alguns cuidados para pedalar no frio.

Pedalar no frio, para muitos, é como enfrentar uma estrada cheia de pregos. O clima gelado desanima, o vento “corta” o rosto e o corpo parece não responder subitamente aos seus comandos. Porém, há boas maneiras de amenizar as influências do tempo e curtir a pedalada com a sua bicicleta ao máximo.

Separamos, abaixo, algumas dicas para você que quer pedalar no frio com mais conforto e segurança.

ROUPAS PARA PEDALAR NO FRIO

A roupa é o fator mais importante quando o assunto é pedalar no frio. Apesar de parecer algo complexo, é um tanto quanto simples. Muitas pessoas imaginam ser preciso usar blusas grossas e agasalhos impermeáveis de última geração. Isso pode ser necessário quando se encara neve ou um clima extremamente gelado, abaixo de zero.

Em um frio mais ameno, esse tipo de roupa fará com que o ciclista transpire muito. O suor, então, umedece a roupa e a deixa molhada, causando, assim, um grande desconforto. Portanto, indica-se, no geral, usar várias camadas de vestuário específico para ciclismo.

Camiseta dry fit, que consegue absorver o suor, jaqueta leve feita exclusivamente para ciclista e colete corta-vento despontam como uma ótima combinação para pedalar no frio. Manguitos e pernitos também são excelentes alternativas. Há quem prefira usar calças produzidas especialmente para ciclistas e a bermuda por cima. Os pernitos, no entanto, oferecem maior versatilidade.

LUVAS, ÓCULOS E BALACLAVA

Além da roupa, há vários outros acessórios que é possível utilizar para pedalar no frio. Óculos, por exemplo, evitam que os olhos fiquem úmidos por causa do vento gelado. Toucas e até mesmo balaclavas ajudam a proteger a cabeça. Bandanas costumam ser utilizadas para proteger o pescoço. Alguns ciclistas a levantam até a boca para que o rosto fique bem aquecido.

Luvas são uma parte importante, pois as extremidades do corpo são as áreas mais suscetíveis a esfriar primeiro. Uma boa dica são as luvas de dedos longos, usadas no mountain bike.

AQUECIMENTO PARA PEDALAR NO FRIO

O aquecimento é importante antes de qualquer pedalada, e é ainda mais no inverno, já que o seu corpo está bem frio.

No frio, é comum sentir as pernas mais pesadas e dores. Além disso, o risco de sofrer lesões aumenta. Dependendo da idade do ciclista e do tipo de pedal, pode ser preciso um período maior de treino.

ALIMENTAÇÃO

Em baixas temperaturas, o corpo gasta energia tanto para pedalar como para manter-se aquecido. Portanto, o esforço é ainda maior. É importante manter uma alimentação bem equilibrada, até mesmo para evitar uma baixa no sistema imunológico. Frutas, como banana, barra de cereal e gel de carboidrato são boas opções.

Além disso, é preciso ficar sempre atento com a hidratação. No frio, muitas pessoas se esquecem de tomar água, o que prejudica o seu rendimento e a sua recuperação. Lembre-se de levar garrafinhas em sua bicicleta para pedalar no frio.

ATENÇÃO COM A BICICLETA

Você não precisa mais abandonar a bicicleta quando a temperatura abaixar! Com alguns acessórios extras, o vestuário certo, e uma boa manutenção pós percurso, esse momento será bem mais produtivo e explorar diferentes destinos vai ser bem mais prazeroso.

Cuide da sua saúde e pedale com cautela!

Publicado em

Luvas de ciclismo: Saiba a importância de usá-las.

As luvas de ciclismo são uma parte bem importante do guarda-roupa do ciclista.

Apesar de serem mais vistas em provas e treinos longos, onde cumprem o papel essencial de fornecer mais conforto, as luvas proporcionam outros benefícios que vão bem além disso.

Se você ainda não usa luvas de ciclismo, ou se não está bem certo das suas vantagens, vale conferir essas 5 dicas com os benefícios do uso do equipamento.

1. Evitar lesões

Talvez você esteja surpreso a ler esse tópico, mas é isso mesmo. O acolchoado das luvas ajuda a evitar a chamada Neuropatia Ulnar, também conhecida como “Paralisia do Guidão”, que é a compressão do nervo ulnar.

Esse nervo é o que se relaciona com o formigamento na mão, principalmente no polegar. A partir do momento que a dor começa a se manifestar, pode virar uma lesão bem chatinha de se livrar.

2. Manter as mãos no guidão

Luvas de ciclismo também proporcionam maior aderência ao guidão. Como a maioria dos modelos possuem material antiderrapante, isso ajuda a manter as mãos firmes no guidão, sem que escorreguem. De quebra ainda evitam a formação de calos e bolhas.

3. Proteger do frio

Ok, em pleno verão isso nem passa pela sua cabeça. Mas espera chegar o frio para ver se os dedos praticamente congelados não vão complicar a pilotagem.

4. Proteger nas quedas

No ciclismo, e principalmente no Mountain Bike, cair é uma possibilidade. E no caso de queda, as luvas irão amortecer o impacto com o chão e proteger suas mãos de galhos e outros obstáculos soltos na trilha.

5. Auxiliar em situações específicas

Por fim, de acordo com as características de cada modelo, as luvas de ciclismo podem auxiliar em uma série de situações. Versões com tecido atoalhado na parte externa do polegar são ótimas para limpar o suor que escorre em direção aos olhos. Assim como as que apresentam material reflexivo no dorso podem deixar pedaladas noturnas mais seguras e as infantis, com desenhos coloridos, estimulam os pequenos a usar equipamentos de segurança.

Encontrar o par ideal de luvas pode ser uma questão de tentativa e erro.

Há uma grande variedade de luvas disponíveis no mercado, envolvendo tecnologias na composição do tecido, no amortecimento da palma da mão, ventilação, entre outras características.

Procure uma de nossas lojas e converse com nossos consultores que vão orientar na escolha do melhor equipamento.

Publicado em

Você sabe utilizar a bermuda de ciclismo do jeito certo? Confira essas 5 dicas!

As roupas de ciclismo certas podem fazer a diferença entre amar cada minuto do seu pedal ou contar cada segundo para que ele acabe. Por isso, se você quer ficar confortável no selim, é legal saber para que serve e como usar bermuda de ciclismo do jeito certo.

Além da questão do conforto, a peça também ajuda a melhorar a circulação sanguínea, reduz a fadiga muscular e a sensação de dormência nos músculos.

Confira abaixo as informações que selecionamos sobre como usar a bermuda de ciclismo do jeito certo e obter mais prazer no seu pedal!

Por que usar uma bermuda de ciclismo?

 O selim de sua bicicleta foi projetado para funcionar com uma camurça (chamois) ou forro, que é aquela parte da almofada da bermuda. É esse forro que apoia sua estrutura óssea, fornece amortecimento em áreas sensíveis e evita a fricção que pode causar escoriações e feridas.

 

1. Comece pelo gênero específico

Cada corpo é diferente, mas de um modo geral, homens e mulheres têm proporções diferentes e definitivamente anatomias diferentes. Isso significa cortes, ajustes e camurça diferentes para bermudas masculinas e femininas.

Nas bermudas femininas, por exemplo, o forro geralmente é mais largo na parte traseira. Enquanto que as bermudas masculinas podem ter uma camada extra na parte frontal para eliminar a pressão nessa área.

 

2. Invista em peças com bom ajuste

Procure tamanhos que se ajustem perfeitamente, mas ainda sejam confortáveis ​​para mover. O tecido não deve se deslocar contra sua pele enquanto você pedala, mas também não deve cortar a circulação para suas pernas. Procure um tamanho que abrace suas pernas sem apertar.

O ajuste correto da bermuda de ciclismo garante que tudo fique no lugar. Como mencionamos, o selim foi projetado para funcionar com uma camurça. Assim você ficará infinitamente mais confortável com bermudas que mantêm o acolchoamento extra exatamente onde você precisa.

 

3. Não use roupas íntimas com a bermuda

Vamos manter as coisas simples: não use nada sob os shorts da bicicleta. A camurça interna foi feita para se ajustar com a pele para evitar atrito, além de ser feita de tecidos que absorvem a umidade e secam rapidamente. Usar roupas íntimas sob a bermuda adiciona costuras que irritam e retêm a umidade.

 

4. Use um creme antiatrito se necessário

O creme antiatrito é uma substância que ajuda a eliminar a fricção entre a pele e a roupa, reduzindo o atrito. As bermudas de ciclismo são projetadas para funcionar sem ele, mas muitos ciclistas preferem contar com a proteção extra do creme.

Se você quiser experimentá-lo, certifique-se de utilizar um creme adequado para ciclismo. Alguns produtos podem ter ingredientes que podem danificar a camurça ou irritar sua pele durante o exercício.

 

5.Faça a lavagem correta

Sim, o modo como você cuida da sua bermuda de ciclismo pode influenciar no desempenho da peça durante o uso. Assim, se não for possível lavar a peça à mão, utilize o ciclo suave da máquina de lavar.

Use detergentes sem fragrância e dispense amaciantes. É que os resíduos do produto podem obstruir as fibras e interferir na capacidade de absorção. Pendure-os para secar do avesso e na sombra. A exposição aos raios UV pode fazer com que o tecido se quebre prematuramente.

Por fim, lembre-se que um dos fatores mais importantes para pedalar feliz é estar confortável. E saber como usar bermuda de ciclismo do jeito certo pode fazer toda a diferença!

Na Indy Bike você encontra uniformes para ciclistas das melhores marcas e modelos. Venham conferir!

Publicado em

Ajuste do selim: os problemas quando mal feito e como resolvê-los.

Um dos pontos mais importantes a ser observado na regulagem da bicicleta é o ajuste do selim.

A prática do ciclismo é mais segura, em longo prazo, quando comparada a esportes como a corrida. Boa parte das lesões que acontecem no pedal decorre de acidentes. Traumas relacionados ao esforço repetitivo são menos comuns e severos que os verificados em corredores. No entanto, são frequentes os erros de posicionamento do ciclista sobre a bicicleta, o que acaba gerando desconforto e dores, podendo evoluir para lesões com o passar do tempo caso o problema não seja tratado e corrigido devidamente. Um dos pontos mais importantes a ser observado na regulagem da bicicleta é o ajuste do selim. Vamos explicar abaixo, as consequências de um ajuste do selim mal feito e como corrigir o problema.

 

Erro: selim muito baixo

Influência na pedalada – aumento da tensão no tendão patelar; sobrecarga da musculatura estabilizadora do quadril; pressão excessiva dos pés nos pedais, com o tornozelo muito baixo no ponto inferior da pedalada; flexão exagerada do quadril.

Lesões decorrentes – dores na parte anterior dos joelhos; dores lombares; tendinite nos glúteos; dores no quadril (atletas com lesões de labrum preexistentes).

Correção – flexão de joelhos no ponto alto da pedalada (contrarrelógio): até 110°; -flexão de joelhos no ponto alto da pedalada (estrada): até 115°.

Erro: selim muito alto (ou pedivela muito longa)

InfluêncIa na pedalada – estiramento excessivo dos músculos posteriores das coxas; mau posicionamento pélvico no selim; excesso de trabalho dos tornozelos.

Lesões decorrentes – irritação do trato iliotibial (ITBS); lesões nos músculos isquiotibiais; dores lombares.

Correção – extensão de joelhos no ponto baixo da pedalada (contrarrelógio): 37° a 42°; extensão de joelhos no ponto baixo da pedalada (estrada): 35° a 40°.

Para pedalar com qualidade e segurança faça sempre os ajustes necessários em sua bike. Conte com a ajuda de especialistas no assunto. Conte com a Indy Bike.

Publicado em

Capacete de Bike. Um importante item de segurança.

Praticar uma nova atividade exige sempre um preparo. Há esportes que podem demandar maior esforço muscular, equilíbrio, técnica, acessórios adequados. Há os que também necessitam de grande atenção com a segurança.

O ciclismo é um destes. Praticar exercícios com bicicleta envolve riscos, principalmente em áreas urbanas, e muito se discute a relevância do uso de equipamentos.

O capacete faz parte de uma gama de equipamentos e recomendações bastante difundidos no ciclismo. Por exemplo, é aconselhado que se use roupas claras ou chamativas durante o passeio, para que motoristas possam discernir o ciclista do ambiente urbano, geralmente escuro. Outras orientações e advertências, entretanto, não tiveram tanta atração dos praticantes. O espelho retrovisor do lado esquerdo, o pisca traseiro e o farol dianteiro são menos vistos entre os ciclistas.

Algumas pessoas podem achar incômodo e até um exagero usar o capacete enquanto pedala. Assim como uma roupa, você deve investir o seu tempo para escolher um capacete que esteja de acordo com as suas necessidades e com o seu estilo de vida.

O capacete fabricado com EPS, nada mais é do que aquele feito com isopor. Só que não estamos falando daquele tipo que encontramos em papelarias. Esse aqui é um isopor especial, muito mais resistente.

Ele possui várias aberturas, o que facilita a ventilação e ajuda a proteger um pouco da nuca, as laterais e a parte frontal do crânio. Esse tipo é bastante versátil porque pode ser utilizado para lazer, para esporte, ciclo turismo, dentro ou fora da zona urbana.

Existem os capacetes que são específicos para determinado tipo de modalidade esportiva. Por exemplo, os capacetes de contrarrelógio possuem uma aerodinâmica melhor, com uma forma parecida de uma gota de água. São um pouco mais alongados na parte posterior se comparado aos outros modelos e alguns até oferece uma viseira.

Alguns capacetes de bike são fechados e muito parecidos com os de motocicleta. São chamados de full face e nessa categoria temos o Downhill e o BMX. A intenção aqui não é apenas proteger o crânio em si, mas toda a face, principalmente queixo e boca.

Como escolher o capacete certo?

O primeiro item que deve ser levado em consideração na hora de escolher o seu capacete é a finalidade para a qual ele será usado. O tamanho do capacete é em centímetros, medido pelo tamanho da circunferência da cabeça que tem como marco, 2 dedos acima da orelha.

Também não adequado comprar um capacete que seja exatamente do tamanho da sua cabeça, ele ficará apertado, podendo até prejudicar a circulação sanguínea. Também não pode ficar muito folgado pois, pode trepidar em ambientes muito acidentados.

Caso tenha dúvidas na hora de comprar o seu capacete, venha visitar uma de nossas lojas da Indy Bike e converse com nossos consultores que darão a você toda assessoria na hora da compra.

Pedale com segurança!

Publicado em

5 dicas importantes para pedalar no outono.

O outono é uma estação do ano bastante peculiar. Uma de suas principais características é a imprevisibilidade. Um dia que começou ensolarado pode terminar com chuva ou começar quente e terminar frio, por exemplo.

Por este motivo, separamos cinco dicas para que você possa pedalar no outono com tranquilidade.

1. Utilize roupas adequadas

Pedalar no outono pode exigir que você se previna um pouco mais. Para isso, lembre-se sempre de levar um casaco leve para se proteger da chuva. A imprevisibilidade da estação pode te pegar de surpresa e você acabar molhado no meio da pedalada.

2. Atente-se aos acessórios

Capacete com viseira e óculos escuros são parte primordial do “uniforme” para pedalar. Além de proteger, são itens que ajudam em vários aspectos durante o percurso.

3. Fique de olho no horário

Escolha um horário adequado para o pedal. O período da manhã é o mais recomendado para uma pedalada saudável.

4. Sinalize sempre

Mostrar para os outros quais serão seus próximos passos é muito importante. Sempre que for tomar alguma decisão dentro do percurso, procure sinalizar suas manobras. Sinalize com a mão esquerda em 90º quando for virar à esquerda e com a mão direita quando for virar à direita. Agitar ligeiramente a mão torna o sinal mais visível. Quando for continuar em frente em um local onde muitos ciclistas viram à direita, sinalize com a mão em 45º, pedindo para aguardar. Lembre-se, em caso de chuva, atenção redobrada no trânsito.

5. Respeite a sinalização

As sinalizações de trânsito também devem ser respeitadas pelos ciclistas. Ou seja, não pode passar no sinal vermelho, andar na contramão e várias outras situações deste tipo. Respeitar estas orientações vão garantir segurança durante o trajeto. Boa pedalada!

Publicado em

Dicas de hidratação para pedalar no calor.

A hidratação para quem pedala é essencial para obter um alto desempenho, e não sofrer com dores e cansaço depois de pouco tempo de treino. E como o Brasil é um país tropical, o clima quente vai castigá-lo se você não estiver com o corpo hidratado.

Confira algumas dicas sobre hidratação no pedal, que vão fazer você pedalar bem melhor!

 

• A HIDRATAÇÃO PARA QUEM PEDALA COMEÇA EM CASA: BEBA MUITA ÁGUA ANTES DE PEDALAR

Até duas horas antes de sair de casa para pedalar, é fundamental que você beba entre 300 ml e 500 ml de água. Esse tempo é recomendado para que você não tenha desconforto no treino e a água já tenha feito o papel de hidratar o corpo.

Essas quantidades de água são suficientes para manter você bem hidratado e sem sentir sede nos primeiros 30 minutos de pedal.

Leite, café e sucos também valem na hidratação para quem pedala, e você pode tomar qualquer um antes do pedal, que vai te ajudar bastante também!

 

• BEBA ISOTÔNICOS ENQUANTO PEDALA

O ciclismo é um esporte de alta intensidade e coloca muitos músculos para trabalhar. Isso faz com que você sue proporcionalmente ao seu esforço.  Para repor todas as vitaminas e sais minerais que saem com o suor, os isotônicos são perfeitos!

Bebidas como o Gatorade ou o Powerade são exemplos de isotônicos — bebida com sais e outros componentes que ajudam a repor e reter líquido do corpo.

 

• SEMPRE BEBA ÁGUA DO COMEÇO AO FIM DO TREINO

Levar água na bike é de lei para um ciclista, e você deve bebê-la durante todo o pedal.

É um erro beber água só quando você sente sede. Nesse ponto, o seu corpo já está desidratado e no limite das reservas de energia. Isso faz com que a fadiga muscular apareça depressa e você fique sem forças para continuar.

O ideal é que, a cada meia hora, você beba água em doses moderadas, para não acabar com o estoque logo e o seu corpo absorver o líquido num ritmo equilibrado.

 

• COMA ALIMENTOS RICOS EM ÁGUA

Invista na alimentação rica em água!  Algumas frutas como melancia, abacaxi e laranja são ótimas em fornecer água ao corpo.

E ainda com o diferencial que os líquidos das frutas têm muitas vitaminas e são doces — o que dá uma carga boa de energia!

Esses alimentos são ideais para a hidratação para quem pedala, já que oferecem energia ao corpo por mais tempo.

Para a volta a casa, saladas e legumes como pepino e tomate são boas opções para repor o líquido perdido no treino.

 

• USE GARRAFAS TÉRMICAS

As garrafas térmicas não são frescuras e funcionam conservando a temperatura da bebida por mais tempo. Vale também colocar gelo dentro da garrafinha térmica, para fazer com que o efeito dure mais!

E se você pega pesado e faz treinos longos, veja se no quadro de sua bicicleta cabem mais de um suporte para garrafa. Assim você leva o máximo que puder para suportar a carga de treino.

Caso não dê para levar mais de uma garrafa, é hora de pensar em comprar uma mochila de hidratação térmica!

 

• BEBA BASTANTE ÁGUA DEPOIS DO PEDAL

Depois da pedalada, a hidratação para quem pedala continua! Nada melhor do que descansar depois de um treino, mas essa parte deve vir acompanhada de muita água.

Beber de 1,5l a 2l de água, em até duas horas depois do pedal, vai fazer com que você recarregue a energia do corpo mais rápido. E também não sinta tanta sede durante o resto do dia, uma sensação muito comum depois de um treino forte!

Pedalar é uma atividade prazerosa e, se você estiver apenas passeando, tem que curtir a experiência, encontre locais seguros, com sombra, para descansar e se hidratar entre as pedaladas. Com tranquilidade e atenção, você se diverte mais e consegue aproveitar todos os benefícios desse exercício. Bom pedal!

Publicado em

Como escolher um bom capacete de bike e como ajustá-lo?

O uso de equipamentos de proteção é de extrema importância em qualquer atividade e no ciclismo não é diferente. O capacete é um dos equipamentos de proteção mais comuns e tem papel muito importante na sua segurança.  Igualmente importante, é saber escolher e ajustá-lo, a fim de obter benefício total do mesmo. Muitos praticantes dispensam o uso do capacete por diversas questões, seja pela aparência, falta de costume ou desconforto. Estes, podem ser causados pelo ajuste irregular.

Vamos te ajudar com estas questões com algumas dicas.

Escolhendo o modelo

Obviamente, o modelo de capacete ideal vai variar de acordo com a modalidade de ciclismo que você vai praticar. Aqui em específico, vamos utilizar o capacete para Mountain Bike/Cross Country/passeio como exemplo, mas algumas destas dicas também poderão ser aplicadas a outros modelos.

Capacete para Mountain Bike

Um bom capacete deve oferecer um equilíbrio entre proteção, cobertura, ventilação e conforto. A combinação destes fatores irá lhe proporcionar os benefícios necessários.

Vamos analisar o que cada um destes fatores significa.

Proteção

Ao adquirir um equipamento de proteção, o principal benefício que você está procurando, obviamente, é a proteção. Isso depende de vários aspectos, que acaba por abranger a combinação dos fatores mencionados na seção acima (cobertura, ventilação e conforto).

Deve-se levar em consideração o material e processo utilizado na fabricação do capacete. Há uma variedade de materiais, cada qual com sua característica específica, como peso, densidade e até resistência.

A grande maioria dos capacetes é fabricado em EPS – poliestireno expandido, fibra de vidro ou plástico. Outros materiais ainda podem ser utilizados, mas esta é uma variável que depende do fabricante. O importante é que o capacete seja desenvolvido para absorver impactos.

Como as tecnologias, processos e materiais de fabricação que muito influenciam no desempenho, também influenciam no preço, o ideal é analisar o que você procura. Que tipo de modalidade você pretende praticar? O que você procura num capacete? Quanto deseja investir?

Depois de definir estas questões, a dica que pode ser aplicada a todos os tipos de capacete é verificar se o mesmo possui certificados de qualidade. Lembre-se, não escolha um produto apenas pelo preço, afinal, o capacete é um investimento!

Cobertura

Ainda no que diz respeito à proteção, o capacete ideal deve oferecer uma cobertura considerável. De nada adianta usar capacete se ele cobre somente uma pequena parte da sua cabeça.

Os capacetes de Mountain Bike são “abertos” e não envolvem todo o crânio, pois parte-se do princípio que esta modalidade não oferece altíssimos riscos por não envolver alta velocidade, saltos e outras situações de perigo.

Ventilação

Um bom capacete deve oferecer ventilação adequada. Esta não é somente uma questão de conforto, mas de saúde, pois é preciso considerar a transpiração que o couro cabeludo necessita durante a realização de um exercício.

Por isso, procure um capacete com diversas entradas e saídas de ar, proporcionando assim a ventilação adequada.

Conforto

Como já mencionado anteriormente, os 4 fatores (proteção, cobertura, ventilação e conforto) se completam, já que as coberturas ideais aliadas à ventilação adequada oferecem conforto, e por consequência, proteção.

Na questão do conforto, é preciso considerar tanto o encaixe do capacete na cabeça quanto suas fitas de fixação. O capacete deve permanecer firme na cabeça sem apertar em nenhum dos lados. O ideal é que mesmo sem as fitas, o capacete permaneça na sua cabeça, embora você deva utilizá-lo com todos os itens de segurança.

O tamanho também é muito importante para a proteção e conforto. Para encontrar o seu tamanho ideal, meça a circunferência do seu crânio com uma fita métrica, 2,5cm acima de sua sobrancelha. Depois, veja se há compatibilidade com os tamanhos informados pelo fabricante.

Ajuste do capacete

Não somente é preciso usar o capacete, mas saber usá-lo corretamente, o que lhe proporcionará conforto e proteção adequada.

A maioria dos capacetes oferecidos no mercado atualmente possuem um dispositivo de regulagem na parte de trás. Este, deve estar corretamente ajustado às suas necessidades e não deve estar apertado ou folgado. Deve manter o seu capacete na posição central e firme, o que auxiliará ao mantê-lo no lugar em trepidações, por exemplo.

As fitas de fixação também devem estar corretamente ajustadas ao tamanho que você precisa. Sua orelha deve ficar no meio do “triângulo” lateral e a ponta de encontro destas duas faixas devem estar logo abaixo da orelha, próximo à sua mandíbula.

A parte que oferece suporte à parte superior deve passar abaixo do seu queixo e não deve ficar firme e nem muito solta. O recomendado é ter uma folga de 2 à 3 dedos, o que será suficiente para manter o capacete na sua cabeça e não lhe causar desconforto.

Após considerar todos estes fatores, você certamente terá um ótimo equipamento que lhe proporcionará uma proteção adequada.

Se ainda tem dúvida sobre qual o melhor capacete para você, visite uma de nossas lojas e converse com nossos técnicos, eles vão ajudar na melhor escolha e na qualidade.

Publicado em

Capacete de Bike. Entenda sua importância.

Praticar uma nova atividade exige sempre um preparo. Há esportes que podem demandar maior esforço muscular, equilíbrio, técnica, acessórios adequados. Há os que também necessitam de grande atenção com a segurança.

O ciclismo é um destes. Praticar exercícios com bicicleta envolve riscos, principalmente em áreas urbanas, e muito se discute a relevância do uso de equipamentos.

O capacete faz parte de uma gama de equipamentos e recomendações bastante difundidos no ciclismo. Por exemplo, é aconselhado que se use roupas claras ou chamativas durante o passeio, para que motoristas possam discernir o ciclista do ambiente urbano, geralmente escuro. Outras orientações e advertências, entretanto, não tiveram tanta atração dos praticantes. O espelho retrovisor do lado esquerdo, o pisca traseiro e o farol dianteiro são menos vistos entre os ciclistas.

Algumas pessoas podem achar incômodo e até um exagero usar o capacete enquanto pedala. Assim como uma roupa, você deve investir o seu tempo para escolher um capacete que esteja de acordo com as suas necessidades e com o seu estilo de vida.

O capacete fabricado com EPS, nada mais é do que aquele feito com isopor. Só que não estamos falando daquele tipo que encontramos em papelarias. Esse aqui é um isopor especial, muito mais resistente.

Ele possui várias aberturas, o que facilita a ventilação e ajuda a proteger um pouco da nuca, as laterais e a parte frontal do crânio. Esse tipo é bastante versátil porque pode ser utilizado para lazer, para esporte, ciclo turismo, dentro ou fora da zona urbana.

Existem os capacetes que são específicos para determinado tipo de modalidade esportiva. Por exemplo, os capacetes de contrarrelógio possuem uma aerodinâmica melhor, com uma forma parecida de uma gota de água. São um pouco mais alongados na parte posterior se comparado aos outros modelos e alguns até oferece uma viseira.

Alguns capacetes de bike são fechados e muito parecidos com os de motocicleta. São chamados de full face e nessa categoria temos o Downhill e o BMX. A intenção aqui não é apenas proteger o crânio em si, mas toda a face, principalmente queixo e boca.

Como escolher o capacete certo?

O primeiro item que deve ser levado em consideração na hora de escolher o seu capacete é a finalidade para a qual ele será usado. O tamanho do capacete é em centímetros, medido pelo tamanho da circunferência da cabeça que tem como marco, 2 dedos acima da orelha.

Também não adequado comprar um capacete que seja exatamente do tamanho da sua cabeça, ele ficará apertado, podendo até prejudicar a circulação sanguínea. Também não pode ficar muito folgado pois, pode trepidar em ambientes muito acidentados.

Caso tenha dúvidas na hora de comprar o seu capacete, venha visitar uma de nossas lojas da Indy Bike e converse com nossos consultores que darão a você toda assessoria na hora da compra.

Pedale com segurança!

Publicado em

8 motivos para você pedalar no verão.

Cyclist drinking water to ensure hydration and to quench thirst.

Que tal começar a pedalar no verão? Selecionamos algumas vantagens que vão fazer você adorar essa ideia!

Além de ser uma atividade física, colocar o ciclismo como parte da sua vida, vai permitir que você tenha uma sensação de bem-estar incrível.

E como estamos em pleno verão – nada melhor do que aproveitar toda essa empolgação para começar a pedalar.

Você pode estar pensando que pedalar no verão pode ser desconfortável. Afinal, nossas temperaturas não são nada agradáveis nessa época do ano.

Por isso, fizemos uma lista dos motivos porque você deveria, mesmo no verão, subir na bicicleta e pedalar.

1. Melhoria da função cardiovascular

Andar de bicicleta é uma atividade aeróbica, o que significa que o coração, os pulmões e os vasos sanguíneos se exercitam.

Com o tempo, o ciclismo reduzirá sua pressão e sua frequência cardíaca em repouso.

Andar de bicicleta um pouco mais rápido, ou em subidas é o tipo de atividade física vigorosa que muitos de nós não sabemos.

O ciclismo é recomendado como uma forma ideal de exercício para melhorar saúde e bem-estar.

2. Tônus muscular

O ciclismo vai te ajudar a construir músculos, especialmente quadríceps, glúteos e os músculos da panturrilha.

Quanto mais massa muscular você construir, mais fácil será queimar a gordura.

Dependendo de como você pedala, também pode tonificar e construir a parte superior do seu corpo.

Se você se mantiver sentado, seus braços e ombros também farão um bom exercício.

3. Faz bem para a cabeça

O ciclismo desencadeia a liberação de endorfinas. Elas são as substâncias químicas que fazem bem ao cérebro.

Com o aumento da saúde e da boa forma trazidas pelo ciclismo de forma regular, contribuem para uma visão mais feliz da vida.

4. Aumento da energia

O ciclismo cria resistência, força muscular e aumenta a nossa resistência física de modo geral.

Portanto, para muitos ciclistas novos, é um benefício inesperado ter mais energia para fazer as coisas do dia-a-dia.

Então, o que você está esperando para começar?

5. Perda de peso

Há uma razão pela qual os ciclistas profissionais são magros. O ciclismo queima calorias – e muitas!

O número de calorias eliminadas pode chegar a 1mil por hora.

Você pode até mesmo, se entregar às guloseimas que mais gosta depois de pedalar, isento de culpa, porque vai precisar substituir essas calorias de alguma forma.

Se você unir o ciclismo com uma dieta equilibrada, ele pode ajudar você a perder peso e mantê-lo afastado do sedentarismo, melhorando a sua qualidade de vida, sensação de bem-estar e até mesmo, a sua expectativa de vida.

6. Reduz o estresse

Nós todos sabemos que o estresse é um grande assassino. Mas, você sabia que o ciclismo pode ajudar – e muito – a aliviá-lo?

Andar de bicicleta pode afastar a sua mente de problemas, ou dar-lhe uma chance de pensar sobre eles de uma forma mais calma.

Ir de bicicleta para o trabalho pode ajudar a evitar aquela sensação de desespero por estar atrasado por conta do engarrafamento ou até mesmo porque o seu transporte atrasou.

Qualquer ciclista pode sentir a liberdade envolvida em pedalar em um belo dia de sol

Você já experimentou?

7. Uma nova forma de enxergar a vida

Uma grande vantagem do ciclismo, que muitas vezes é esquecida é que ele pode te mostrar sua cidade, bairro e trajetos de uma forma pela qual você nunca viu.

Você vai descobrir novos caminhos, rotas, novos lugares para visitar e apreciar muito mais esses detalhes do que quando viaja de carro.

O ciclismo também pode abrir uma nova dimensão social em sua vida.

Se você optar por se juntar a uma tribo ou andar com seus amigos e familiares no fim de semana, terá uma grande oportunidade de melhorar os relacionamentos existentes e formar novos.

8.Mas e o suor?

Assim como qualquer outro exercício físico, pedalar vai te fazer suar e isso pode ser um impeditivo para você nos dias quentes do verão.

Porém já pensou que a bike elétrica pode te ajudar a resolver esse problema? As e-bikes te ajudam no esforço e assim você faz um esforço menor e garante chegar inteirinho aos seus compromissos!

Você está pronto para começar agora e pedalar ainda nesse verão?

Deixe que esse pensamento e essa sensação tomem conta de você e, descubra como pedalar pode ser o seu mais novo hábito prazeroso.

Seja no lazer, com a família; no trajeto do trabalho, com uma bicicleta elétrica; ou em grupo, com amigos que pedalam semanalmente, o ciclismo pode fazer você se apaixonar.