Publicado em

Mantenha a manutenção da sua bike em dia.

É muito importante que você leve regularmente a sua bike a um mecânico especializado para fazer uma revisão completa, mas você pode fazer uma manutenção básica em casa mesmo. Observar sinais que a bicicleta dá e realizar pequenos ajustes irão diminuir as chances de ter problemas durante a pedalada e aumentar a vida útil dela.

Separamos algumas dicas para manter a manutenção da bicicleta sempre em dia.

Confira o estado dos pneus

Sempre verifique se existem fissuras, furos e se o desgaste dos cravos ou ranhuras dos pneus não está elevado (o famoso pneu careca). Além de atrapalharem a qualidade dos passeios de lazer, esses fatores influenciam na segurança e podem trazer sérios riscos para o seu próximo pedal.

Mantenha a pressão dos pneus

A pressão correta dos pneus é fundamental para o bom funcionamento dos mesmos. Se os pneus estiverem murchos, a resistência com o solo será maior, dificultando as pedaladas e ficando mais suscetíveis a furos.

Cada ciclista costuma regular a pressão de acordo com o seu peso e o tipo de terreno que irá pedalar, porém sempre respeite o máximo recomendado pelo fabricante. A pressão máxima (PSI) está descrita na lateral do pneu.

Verifique o desgaste da corrente

Se você está ouvindo algum estalo ou barulho vindo da corrente enquanto pedala, pode significar um encaixe indevido das marchas e consequentemente o desgaste da corrente.

Não ignore esses avisos pois quando as correntes ficam gastas, acabam desgastando também os dentes das coroas e cassetes e quando isso acontece se faz necessário trocar todo o conjunto e não apenas só a corrente. Dessa maneira é importante saber identificar quando é preciso efetuar a troca da corrente.

Existem ferramentas para medir o desgaste da corrente que são muito práticas, de fácil uso e baratas.

Atenção aos freios

Se os seus freios estão fazendo ruídos e barulhos muito altos quando acionados, melhor dar uma atenção maior a esses componentes pois provavelmente chegou a hora de a uma manutenção ou troca das pastilhas ou fluídos. Se você não estiver familiarizado com a substituição dessas peças, procure uma oficina especializada para que a manutenção seja feita corretamente.

Confira a situação dos raios e cabos

Se um raio quebrar certamente você terá muitos problemas para removê-lo e rodar com raios quebrados podem danificar o aro da roda. Antes de sair para pedalar, faça uma checagem rápida para verificar qualquer avaria.

Os cabos também merecem uma atenção especial, pois eles precisam funcionar perfeitamente para que você não tenha problemas durante a trilha ou passeio. Observe as condições deles, se estão enferrujados ou com desgastes aparentes.

Mantenha a limpeza em dia

O acúmulo de sujeira vai causar o desgaste precoce das peças e componentes da sua bicicleta.

Após voltar de um pedal longo, faça uma limpeza rápida para evitar futuros problemas. Se tiver feito uma trilha e principalmente se pegar chuva e lama, faça uma limpeza mais profunda para deixar a bicicleta pronta para o próximo pedal

Programe uma Revisão Periódica

Leve a sua bicicleta para uma revisão especializada a cada 3 ou 6 meses, dependendo do tipo de uso que você faz. Um check-up realizado por um profissional vai garantir que a sua bicicleta tenha a durabilidade muito maior. Venha conhecer uma de nossas lojas e agende sua revisão. Nossos técnicos são capacitados e treinados para atende-los da melhor forma.

Publicado em

O que levar para pedalar e garantir qualquer imprevisto!

Seja no dia a dia ou durante aquela pedalada com os amigos no final de semana, devemos levar em consideração alguns detalhes muito importantes para evitarmos maiores problemas e garantir qualquer imprevisto.

Além dos itens indispensáveis como o capacete, luvas e uma roupa confortável que possibilitam uma pedalada mais prazerosa, itens de apoio e suporte para pequenos consertos devem fazer parte da sua pedalada.

São pequenas ferramentas e materiais que podem lhe salvar como um pneu furado ou uma corrente arrebentada.

Veja algumas dicas:

 Bolsa de selim ou de quadro

O item essencial para fixar junto a bike e assim poder levar todos os demais itens de apoio. Existem vários modelos e tamanhos. Analise o que você vai levar tudo e faça a sua escolha. Existem modelos com os itens essenciais para levar junto, assim você fica com tudo pronto para a pedalada.

Alguns ciclistas tem optado pelos modelos de bolsas de quadros para bike. Esses modelos possuem a vantagem de incorporar os celulares, pois ficam dentro de uma capa protetora transparente, possibilitando interagir no celular.

Canivete Multiuso para Bike

O Canivete nada mais é do que um conjunto de ferramentas com tamanho reduzido, mas com ótima qualidade, que ficam compactas e juntas, evitando que se espalhem ou se perca no meio da estrada durante uma eventual manutenção.

Geralmente esses canivetes para bike possuem chaves de fenda, chaves allen, extrator de elo de corrente, e demais itens que fazem com que quase tudo na bike seja possível abrir e regular.

 Kit de remendo para conserto de pneus

Um dos itens mais essenciais e práticos é você conseguir consertar uma câmara de ar com furo. Um kit de remendo além do próprio remendo, possui cola, uma pequena lixa, que ficam dentro de um recipiente compacto protegido e fácil de guardar e usar.

Bomba de ar

A bomba de ar é outro item essencial, de nada adianta ter como consertar uma câmara de ar furada se não tiver como inflar o pneu. Existem vários modelos com suportes, próprios para prender no quadro da bike.

Alguns ciclistas levam uma mini-bomba de ar no bolso traseiro da camisa de ciclismo, mas isso é uma opção sua. O ideal seria deixar o corpo livre, o mais leve possível e deixar o peso para a bike.

Câmara de ar

Outro item fundamental é ter sempre junto 2 (duas) câmaras de ar. 1 (uma) pode ser insuficiente. Como há espaço na bolsa de selim ou de quadro para que você possa levar, o melhor é sempre estar prevenido.

Claro, além de ter as câmaras de ar extras, com o kit de remendo de furos você vai poder ter uma maior segurança.

Espátulas para tirar pneu

Esse item pode parecer frescura, mas às vezes os pneus ficam muito justos ao aro da bike, dificultando a sua retirada. Com o uso das espátulas, você facilita a retirada e evita machucar a câmara de ar.

Conexão para corrente da bike

Um item que geralmente não é muito levado em consideração. Apenas um pequeno elo de corrente pode ser a diferença entre você voltar para casa empurrando sua bike ou pedalando normalmente.

Mas, lembre-se de ter a ferramenta adequada para extrair e colocar o elo de corrente. Alguns Canivetes para bike não possuem essa ferramenta. Confira o seu e se for o caso, e substitua-o por um mais completo.

Melhor prevenir do que remediar! Esse é o segredo para que tudo dê certo. Periodicamente, faça revisões em sua bike, gerencie os itens que necessitam ser trocados quando o tempo ou a quilometragem for atingida. Boas pedaladas!

Publicado em

5 dicas importantes para pedalar no outono.

O outono é uma estação do ano bastante peculiar. Uma de suas principais características é a imprevisibilidade. Um dia que começou ensolarado pode terminar com chuva ou começar quente e terminar frio, por exemplo.

Por este motivo, separamos cinco dicas para que você possa pedalar no outono com tranquilidade.

1. Utilize roupas adequadas

Pedalar no outono pode exigir que você se previna um pouco mais. Para isso, lembre-se sempre de levar um casaco leve para se proteger da chuva. A imprevisibilidade da estação pode te pegar de surpresa e você acabar molhado no meio da pedalada.

2. Atente-se aos acessórios

Capacete com viseira e óculos escuros são parte primordial do “uniforme” para pedalar. Além de proteger, são itens que ajudam em vários aspectos durante o percurso.

3. Fique de olho no horário

Escolha um horário adequado para o pedal. O período da manhã é o mais recomendado para uma pedalada saudável.

4. Sinalize sempre

Mostrar para os outros quais serão seus próximos passos é muito importante. Sempre que for tomar alguma decisão dentro do percurso, procure sinalizar suas manobras. Sinalize com a mão esquerda em 90º quando for virar à esquerda e com a mão direita quando for virar à direita. Agitar ligeiramente a mão torna o sinal mais visível. Quando for continuar em frente em um local onde muitos ciclistas viram à direita, sinalize com a mão em 45º, pedindo para aguardar. Lembre-se, em caso de chuva, atenção redobrada no trânsito.

5. Respeite a sinalização

As sinalizações de trânsito também devem ser respeitadas pelos ciclistas. Ou seja, não pode passar no sinal vermelho, andar na contramão e várias outras situações deste tipo. Respeitar estas orientações vão garantir segurança durante o trajeto. Boa pedalada!

Publicado em

Lubrificação. Você dá à sua bicicleta o que ela precisa?

Os lubrificantes atuam em toda parte onde metal fricciona metal. E metal que fricciona metal é problema. O desgaste resultante é muito grande, e ele se agrava conforme a temperatura sobe. Além disso, metal não escorrega bem sobre metal, então o desempenho será reduzido.

Para isso há uma solução: compostos escorregadios e teimosos, que não costumam sair com facilidade. Isso os torna excelentes intermediários para apaziguar os atritos entre metais. E como cumprem bem seu papel! Já girou uma roda nova de uma bicicleta? Chega a ser relaxante…

Nas bicicletas, os lubrificantes atuam na corrente, movimento central, suspensões, pivôs de suspensão e condutores de cabos. Ainda podem ser úteis nas roscas dos pedais e na base do canote de selim, para facilitar a remoção e prevenir a ferrugem.

Mas como nada dura para sempre, os lubrificantes precisam de reposição regular para que os metais não voltem a brigar. Existem dois principais fatores que exigem a troca de um lubrificante: quando ele diminui ou acaba – o que pode ser causado por longo uso ou pela água – e quando sujeira se mistura a ele. A sujeira faz com que, mesmo havendo lubrificante, volte a existir atrito devido às partículas rígidas da poeira, areia ou barro.

Portanto, sua bike deve ser regularmente lubrificada, ou os danos começarão logo que o lubrificante perder sua eficácia.

Equilíbrio e lugar certo

Tudo tem limite – e com lubrificantes não é diferente. Se você exagerar na dose eles causam problemas também, assim como beber água demais. Acredite, já teve gente que morreu bebendo mais água do que deveria. O rendimento elevado faz com que quantias pequenas de lubrificante sejam necessárias, apenas o suficiente para escorregar.

Os lubrificantes foram feitos para atuar dentro de peças e entre metais, não por fora delas. Quando ficam no lugar errado, podem trazer alguns problemas. Eles atraem sujeira, como poeira e partículas, que aderem a eles e podem acabar parando nas partes internas da bike. Sempre mantenha sua bike seca e limpa por fora, removendo excessos. Isso inclui e até mesmo prioriza a corrente.

Outro problema causado por lubrificantes fora do lugar é a lambança. Além de sujarem você e suas roupas, esses lubrificantes podem sujar peças que não podem receber óleos e gorduras, como os discos de freio, aros e pastilhas. Quem já teve a infelicidade de sujar um disco ou pastilha sabe a frustração que é frear sem ter uma resposta sólida e ainda ouvir um alto e irritante barulho ao apertar mais as alavancas. Em alguns casos, limpar bem o disco e lixar a pastilha resolve, mas se a quantidade de lubrificante foi grande, você terá que trocar as pastilhas.

Não existe boa lubrificação sem limpeza!

Limpar bem as peças que vão receber a lubrificação é tão importante que, se não houver como fazê-lo, pode ser melhor deixar as coisas como estão até poder fazer a limpeza e troca do lubrificante.

A peça que mais precisa de limpeza e lubrificação regulares é a corrente. Só depois de deixá-la limpa e seca com o auxílio de removedores de graxa e algumas horas de sol para secar, é que você deve passar óleo na sua corrente.

O ideal é limpar a bike inteira, periodicamente. Isso vai depender do quanto você a usa. Quando você pegar chuva forte ou lama, deve limpar a bicicleta imediatamente, e assim que chegar em casa, secá-la e lubrificá-la. Essas situações geram uma probabilidade muito maior de causar danos na sua bicicleta.

Use os lubrificantes certos

Quando se fala em cuidados com a corrente, muitas pessoas pensam em graxa. Mas graxa, além de ser um termo que pode se referir a vários produtos, não é apropriada para correntes. A graxa costuma ser mais espessa, especialmente a que é usada por mecânicos não especializados, uma graxa escura e muito pastosa. Essas graxas não vão penetrar nos elos da corrente e ainda vão facilmente sujar sua roupa ou uma pastilha de freio.

Correntes precisam de óleo lubrificante apropriado. Que fique bem claro que isso não inclui desengripantes como WD-40 – a própria WD-40 desenvolveu lubrificantes específicos para correntes, diferentes do propriamente dito WD-40. Esses são produtos multiuso, e podem até ser úteis para eliminar a ferrugem da sua corrente, mas certamente não são apropriados para lubrificá-la durante muitos e muitos quilômetros. Outro produto que pode até quebrar um galho em uma emergência, mas que não é lubrificante de corrente, é o óleo para máquina de costura. Esses óleos, como o famoso Singer, são feitos para condições em locais fechados, não para atuar ao ar livre recebendo constantemente poeira, lama e água.

Existem no mercado várias marcas de lubrificantes específicos para correntes. Eles não só são específicos, como também apresentam variações para cada clima: há versões para clima úmido, para clima seco e versões que servem para ambos os climas.

Já outras peças podem demandar diferentes graxas. Cubos, movimento central, caixa de direção ou outras peças que utilizem rolamentos possuem graxas específicas. Outras graxas também podem ser usadas, desde que tenham a densidade e composição similar.

Programação

Tem dificuldade para lembrar de cuidar da sua bike?

Então lembre-se de agendar esse serviço em sua loja de preferência. Conheça aqui na Indy Bike, nosso serviço de manutenção periódica feita por especialistas em Bike.

Publicado em

A importância da manutenção e revisão em sua bike.

Para quem treina regularmente ou para aqueles que somente fazem passeios periódicos é de extrema importância a realização de manutenção e revisão em sua bike. Nada mais frustante que ficar na mão por uma falha no freio, uma corrente com defeito ou um pneu mal cuidado.

Além de ser essencial para a segurança não só do ciclista, mas também dos motoristas e pedestres, revisar as partes essenciais como pneus, freios, suspensão e corrente regulamente é muito importante.

Alguns cuidados simples, são o suficiente para manter a bike em ordem, evitando quebra de peças e aumentando o tempo de vida dos componentes.

Confira algumas dicas:

Limpeza: Lave a bicicleta com água e sabão neutro e seque com um pano macio. Uma esponja suave também pode ser usada para ajudar na limpeza dos resíduos.

Ajustes: Verifique se a suspensão, os freios e câmbios estão bem regulados já que com o tempo a bike sofre um desgaste natural e pode ficar desregulada.

Lubrificação: Faça a lubrificação das correntes e engrenagens, e ao menos uma vez por ano realize uma revisão completa.

Revisão completa (pelo menos uma vez ao ano): consiste na desmontagem e remontagem total da bike, englobando cuidados com a corrente, cassete, canote, pé de vela, caixa de direção, freios, cambio, movimento central, cabos, conduítes, bobos da roda e muito mais.

Uma dica bacana para manter os cuidados sempre em dia é ter uma planilha de manutenção que contenha todos os cuidados realizados ou a serem feitos na bike. Como por exemplo:

– Data da última revisão;

– Data da troca de equipamentos e acessórios;

– Pressão dos pneus;

– Pressão dos amortecedores;

– Altura dos manetes de freio;

– Dados do bike fit completos;

– Quilometragem.

Com todas essas informações fica mais fácil cuidar da sua bike e pedalar tranquilo, não é mesmo?

Na Indy Bike você faz a manutenção e a revisão da bike e conta com toda nossa estrutura, ferramentas adequadas e específicas e com uma equipe qualificada e treinada para prestar os melhores serviços para seu equipamento.

Deixe sua bike nas mãos de quem entende! Venha para a Indy Bike!

Publicado em

Lubrificação. Você da à sua bicicleta o que ela precisa?

Os lubrificantes atuam em toda parte onde metal fricciona metal. E metal que fricciona metal é problema. O desgaste resultante é muito grande, e ele se agrava conforme a temperatura sobe. Além disso, metal não escorrega bem sobre metal, então o desempenho será reduzido.

Para isso há uma solução: compostos escorregadios e teimosos, que não costumam sair com facilidade. Isso os torna excelentes intermediários para apaziguar os atritos entre metais. E como cumprem bem seu papel! Já girou uma roda nova de uma bicicleta? Chega a ser relaxante…

Nas bicicletas, os lubrificantes atuam na corrente, movimento central, suspensões, pivôs de suspensão e condutores de cabos. Ainda podem ser úteis nas roscas dos pedais e na base do canote de selim, para facilitar a remoção e prevenir a ferrugem.

Mas como nada dura para sempre, os lubrificantes precisam de reposição regular para que os metais não voltem a brigar. Existem dois principais fatores que exigem a troca de um lubrificante: quando ele diminui ou acaba – o que pode ser causado por longo uso ou pela água – e quando sujeira se mistura a ele. A sujeira faz com que, mesmo havendo lubrificante, volte a existir atrito devido às partículas rígidas da poeira, areia ou barro.

Portanto, sua bike deve ser regularmente lubrificada, ou os danos começarão logo que o lubrificante perder sua eficácia.

Equilíbrio e lugar certo

Tudo tem limite – e com lubrificantes não é diferente. Se você exagerar na dose eles causam problemas também, assim como beber água demais. Acredite, já teve gente que morreu bebendo mais água do que deveria. O rendimento elevado faz com que quantias pequenas de lubrificante sejam necessárias, apenas o suficiente para escorregar.

Os lubrificantes foram feitos para atuar dentro de peças e entre metais, não por fora delas. Quando ficam no lugar errado, podem trazer alguns problemas. Eles atraem sujeira, como poeira e partículas, que aderem a eles e podem acabar parando nas partes internas da bike. Sempre mantenha sua bike seca e limpa por fora, removendo excessos. Isso inclui e até mesmo prioriza a corrente.

Outro problema causado por lubrificantes fora do lugar é a lambança. Além de sujarem você e suas roupas, esses lubrificantes podem sujar peças que não podem receber óleos e gorduras, como os discos de freio, aros e pastilhas. Quem já teve a infelicidade de sujar um disco ou pastilha sabe a frustração que é frear sem ter uma resposta sólida e ainda ouvir um alto e irritante barulho ao apertar mais as alavancas. Em alguns casos, limpar bem o disco e lixar a pastilha resolve, mas se a quantidade de lubrificante foi grande, você terá que trocar as pastilhas.

Não existe boa lubrificação sem limpeza!

Limpar bem as peças que vão receber a lubrificação é tão importante que, se não houver como fazê-lo, pode ser melhor deixar as coisas como estão até poder fazer a limpeza e troca do lubrificante.

A peça que mais precisa de limpeza e lubrificação regulares é a corrente. Só depois de deixá-la limpa e seca com o auxílio de removedores de graxa e algumas horas de sol para secar, é que você deve passar óleo na sua corrente.

O ideal é limpar a bike inteira, periodicamente. Isso vai depender do quanto você a usa. Quando você pegar chuva forte ou lama, deve limpar a bicicleta imediatamente, e assim que chegar em casa, secá-la e lubrificá-la. Essas situações geram uma probabilidade muito maior de causar danos na sua bicicleta.

Use os lubrificantes certos

Quando se fala em cuidados com a corrente, muitas pessoas pensam em graxa. Mas graxa, além de ser um termo que pode se referir a vários produtos, não é apropriada para correntes. A graxa costuma ser mais espessa, especialmente a que é usada por mecânicos não especializados, uma graxa escura e muito pastosa. Essas graxas não vão penetrar nos elos da corrente e ainda vão facilmente sujar sua roupa ou uma pastilha de freio.

Correntes precisam de óleo lubrificante apropriado. Que fique bem claro que isso não inclui desengripantes como WD-40 – a própria WD-40 desenvolveu lubrificantes específicos para correntes, diferentes do propriamente dito WD-40. Esses são produtos multiuso, e podem até ser úteis para eliminar a ferrugem da sua corrente, mas certamente não são apropriados para lubrificá-la durante muitos e muitos quilômetros. Outro produto que pode até quebrar um galho em uma emergência, mas que não é lubrificante de corrente, é o óleo para máquina de costura. Esses óleos, como o famoso Singer, são feitos para condições em locais fechados, não para atuar ao ar livre recebendo constantemente poeira, lama e água.

Existem no mercado várias marcas de lubrificantes específicos para correntes. Eles não só são específicos, como também apresentam variações para cada clima: há versões para clima úmido, para clima seco e versões que servem para ambos os climas.

Já outras peças podem demandar diferentes graxas. Cubos, movimento central, caixa de direção ou outras peças que utilizem rolamentos possuem graxas específicas. Outras graxas também podem ser usadas, desde que tenham a densidade e composição similar.

Programação

Tem dificuldade para lembrar de cuidar da sua bike?

Então lembre-se de agendar esse serviço em sua loja de preferência. Conheça aqui na Indy Bike, nosso serviço de manutenção periódica feita por especialistas em Bike.

Publicado em

6 dicas importantes para cuidar e conservar sua bike.

A bike, além de ser um meio de transporte saudável e amiga do meio ambiente, também é excelente para praticar esportes e curtir momentos de lazer em família. Contudo, para pedalar em segurança, conservar sua bicicleta e tomar alguns cuidados com a manutenção correta dos seus equipamentos, sua limpeza e seu armazenamento são fundamentais.

Por isso, a seguir vamos dar algumas dicas para poder conservar sua bicicleta e assegurar sua maior durabilidade, conforto, evitar acidentes e dores de cabeça com gastos inesperados. Confira:

 

1. FAÇA UMA LIMPEZA PERIÓDICA

Manter sua bike sempre limpa é a melhor maneira de conservá-la por mais tempo. Faça isso periodicamente — uma vez por semana é ideal — com um pano seco para retirar a sujeira e os resíduos de todos seus componentes.

Em caso de passeios em trilhas, locais com lama, água salgada (maresia) ou na chuva, o que geralmente suja bastante, lave os componentes de sua bike com água e sabão, limpe com uma esponja embebida em produtos não abrasivos e seque com um pano. Uma cobertura de cera garante a limpeza por mais tempo.

 

2. LUBRIFICAÇÃO

Depois de secar a bike, lubrifique com óleo os componentes móveis de sua bicicleta, como a catraca de marchas, a corrente, os pedais e os rolamentos na parte externa para evitar a oxidação. Jamais utilize querosene, óleo de cozinha ou algum tipo de solvente para fazer isso (e tome cuidado para não exagerar na quantidade de lubrificante).

 

3. RETOQUE A PINTURA

A pintura é uma das principais armas contra a oxidação da bicicleta. Sempre que observar danos, arranhões ou locais descascados, pinte imediatamente para prevenir contra a ferrugem. Quando não encontrar uma tinta de cor semelhante, utilize esmalte comum, verniz para unhas ou uma base transparente para evitar maiores estragos.

 

4. FAÇA AJUSTES REGULARMENTE

Guidão, câmbios, selim, sapatas de freio e parafusos desregulados podem provocar acidentes sérios, causar desconforto durante o pedal e apressar o desgaste de diversos componentes de sua bike, reduzindo a vida útil de seu equipamento.

 

5. LEVE SUA BIKE PARA UM CHECK-UP

Fique atento a barulhos estranhos e trepidações diferentes para identificar qualquer tipo de anormalidade em sua bike e, se necessário, encoste sua magrela na oficina mais próxima.

Bicicletas novas geralmente possuem garantia para realizar check-ups gratuitos por um tempo. Nos demais casos, faça a revisão periódica completa em uma oficina de confiança para garantir o funcionamento adequado e aumentar a durabilidade de seu equipamento.

 

6. GUARDE SUA BIKE EM AMBIENTES FECHADOS

Tão importante quanto mantê-la limpa é guardar sua bike em locais adequados. Opte sempre por lugares fechados e secos, livres de umidade, sol, chuva e vento, agentes oxidantes e/ou corrosivos metálicos.

Outra dica bacana é guardar sua bike suspensa na parede ou no teto, presa por ganchos, suportes apropriados para bicicletas ou por um sistema de polias.

Mantenha sua bike sempre pronta e revisada e garanta a sua segurança na hora de pedalar. Agende uma revisão na Indy Bike. Venha conhecer nossas oficinas especializadas e com mecânicos treinados e capacitados para atender sempre com excelência.

Publicado em

Manutenção da bike, quando fazer?

Nossa Bike é nossa paixão, cuidamos dela com todo empenho. Mas ela é um equipamento mecânico, que pode, sem mais nem menos, falhar em algum momento. Ela precisa de cuidados especiais e manutenção preventiva.

Vamos ver o que é preciso e qual a periodicidade que a manutenção deve ser feita.

A lubrificação da corrente pode ser feita em casa mesmo, com cera lubrificante, não graxa, mas fazer uma revisão mais detalhada, se você não tem conhecimento nenhum, por favor nem tente. Veja as dicas para manter sua bike sempre pronta para pedalar…

 

Limpeza

Quanto a isso não tem problema nenhum fazer em casa, porém o indicado é utilizar produtos próprios para limpeza de bike, existem desengraxantes e shampoos especiais. Siga as instruções de cada produto e limpe sua bike da maneira indicada. Não se esqueça que após tirar o excesso da corrente, é preciso passar cera novamente. Utilize bucha e escova para fazer isso, também existem kits específicos para limpeza de corrente.

Período para Manutenção

A maneira como você usa sua bike influencia diretamente no tipo de revisão e na periodicidade da mesma. Vamos ver?

Uso na cidade – o ideal é a cada 6 meses, porém, manter cera na corrente, lavar periodicamente é essencial para manter os componentes da sua bike em perfeito funcionamento.

Uso misto (Trilhas leves e cidade) – se você faz trilhas duas vezes por mês e usa a bike na cidade para pedal em grupo e/ou trabalho, o ideal é fazer a revisão a cada 3 meses.

Uso constante em Trilhas (Tipo toda semana) – se você usa sua bike semanalmente em trilhas, não deixe de fazer a manutenção, pelo menos uma vez por mês. Agora se por acaso pegar chuva e juntar barro, o ideal é fazer a revisão logo após o uso.

Agora, se você é o tipo de pessoa que quer saber mexer na sua bike, economizar uma grana e entender melhor como funciona o mecanismo das magrelas, tudo bem. Mas procure uma empresa especializada que te dê um curso e te qualifique para isso, porque a tecnologia embarcada nas bikes hoje é de alto nível.

Não faça isso em casa…

Apesar de ser um equipamento simples, fazer uma manutenção numa bike, exige ferramentas especificas. E tenho certeza que algumas dessas ferramentas você não vai ter em casa, portanto cuidado, não fique mexendo a toa. Por exemplo, existe ferramenta especifica para soltar o pedivela, para soltar o Free Rub, para abrir o elo da corrente, entre outras coisas.

Não tente regular as marchas da bike em casa. Isso também é um serviço chato e se você mexer pode estragar toda a relação da bike. E dependendo do modelo, a brincadeira não é barata. Caso se arrisque mexer e fizer besteira, o câmbio traseiro por exemplo, pode virar e entrar no meio dos raios. Porque ele tem uma trava limite, tanto para cima, quanto para baixo. Não arrisque.

Não dê uma de curioso para mexer no freio hidráulico da sua bike, isso é um serviço extremamente chato e dever ser feito por um especialista. O ideal é sangrar os freios uma vez por ano. Se pedala em locais com muitas descidas íngremes, que exigem muito do freio, faça essa sangria duas vezes por ano. Também é preciso trocar o óleo do freio. Lembre-se que freio é segurança, não acessório.

Se a suspensão começar a fazer barulho, não travar e estiver com um funcionamento anormal, te aconselho a levar a um especialista também, dê preferência a um mecânico que tenha curso de suspensão, porque existem alguns profissionais que se arriscam a desmontar, e nem sequer sabem o que estão fazendo, tenha precaução.

O ideal é fazer duas vezes por ano, verifique o que o fabricante indica e siga a risca, porque suspensão também é item de segurança.

Revisão Completa

Se pedala somente no asfalto, faça essa revisão pelo menos uma vez por ano. Esse tipo de manutenção é feita da seguinte maneira. A bike toda é desmontada, fica somente o quadro, sem peça alguma.

Nesse tipo de revisão todos os componentes são lavados e lubrificados. Daí montados novamente. É retirado suspensão, pedivela, guidão, canote de selim e etc.

Se faz trilhas eventualmente, o ideal é fazer esse tipo de revisão umas 3 ou 4 vezes por ano. E se você faz trilhas direto, faça esse tipo de revisão a cada 2 meses.

Dica:

Calibragem dos pneus é essencial, pneus bem calibrados evitam furos e isso deve ser feito sempre. Eu não aconselho calibrar pneu em postos de combustível, o ideal é investir numa bomba com manômetro.

Quando encaminhar sua bike para revisão, não se esqueça de pedir para o profissional medir o desgaste da relação de marchas, o desgaste das pastilhas de freio e dos discos.

Quando você forçar para pedalar e escutar um grande barulho e o pedivela girar em falso, isso pode indicar desgaste da relação. Nesse caso o ideal é trocar a relação toda. Corrente, coroas e cassete.

A Indy Bike tem profissionais qualificados e treinados para fazer o melhor em sua bike. Venho nos visitar e agende uma manutenção. Boas pedaladas!

Publicado em

Dicas de hidratação para pedalar no calor.

A hidratação para quem pedala é essencial para obter um alto desempenho, e não sofrer com dores e cansaço depois de pouco tempo de treino. E como o Brasil é um país tropical, o clima quente vai castigá-lo se você não estiver com o corpo hidratado.

Confira algumas dicas sobre hidratação no pedal, que vão fazer você pedalar bem melhor!

 

• A HIDRATAÇÃO PARA QUEM PEDALA COMEÇA EM CASA: BEBA MUITA ÁGUA ANTES DE PEDALAR

Até duas horas antes de sair de casa para pedalar, é fundamental que você beba entre 300 ml e 500 ml de água. Esse tempo é recomendado para que você não tenha desconforto no treino e a água já tenha feito o papel de hidratar o corpo.

Essas quantidades de água são suficientes para manter você bem hidratado e sem sentir sede nos primeiros 30 minutos de pedal.

Leite, café e sucos também valem na hidratação para quem pedala, e você pode tomar qualquer um antes do pedal, que vai te ajudar bastante também!

 

• BEBA ISOTÔNICOS ENQUANTO PEDALA

O ciclismo é um esporte de alta intensidade e coloca muitos músculos para trabalhar. Isso faz com que você sue proporcionalmente ao seu esforço.  Para repor todas as vitaminas e sais minerais que saem com o suor, os isotônicos são perfeitos!

Bebidas como o Gatorade ou o Powerade são exemplos de isotônicos — bebida com sais e outros componentes que ajudam a repor e reter líquido do corpo.

 

• SEMPRE BEBA ÁGUA DO COMEÇO AO FIM DO TREINO

Levar água na bike é de lei para um ciclista, e você deve bebê-la durante todo o pedal.

É um erro beber água só quando você sente sede. Nesse ponto, o seu corpo já está desidratado e no limite das reservas de energia. Isso faz com que a fadiga muscular apareça depressa e você fique sem forças para continuar.

O ideal é que, a cada meia hora, você beba água em doses moderadas, para não acabar com o estoque logo e o seu corpo absorver o líquido num ritmo equilibrado.

 

• COMA ALIMENTOS RICOS EM ÁGUA

Invista na alimentação rica em água!  Algumas frutas como melancia, abacaxi e laranja são ótimas em fornecer água ao corpo.

E ainda com o diferencial que os líquidos das frutas têm muitas vitaminas e são doces — o que dá uma carga boa de energia!

Esses alimentos são ideais para a hidratação para quem pedala, já que oferecem energia ao corpo por mais tempo.

Para a volta a casa, saladas e legumes como pepino e tomate são boas opções para repor o líquido perdido no treino.

 

• USE GARRAFAS TÉRMICAS

As garrafas térmicas não são frescuras e funcionam conservando a temperatura da bebida por mais tempo. Vale também colocar gelo dentro da garrafinha térmica, para fazer com que o efeito dure mais!

E se você pega pesado e faz treinos longos, veja se no quadro de sua bicicleta cabem mais de um suporte para garrafa. Assim você leva o máximo que puder para suportar a carga de treino.

Caso não dê para levar mais de uma garrafa, é hora de pensar em comprar uma mochila de hidratação térmica!

 

• BEBA BASTANTE ÁGUA DEPOIS DO PEDAL

Depois da pedalada, a hidratação para quem pedala continua! Nada melhor do que descansar depois de um treino, mas essa parte deve vir acompanhada de muita água.

Beber de 1,5l a 2l de água, em até duas horas depois do pedal, vai fazer com que você recarregue a energia do corpo mais rápido. E também não sinta tanta sede durante o resto do dia, uma sensação muito comum depois de um treino forte!

Pedalar é uma atividade prazerosa e, se você estiver apenas passeando, tem que curtir a experiência, encontre locais seguros, com sombra, para descansar e se hidratar entre as pedaladas. Com tranquilidade e atenção, você se diverte mais e consegue aproveitar todos os benefícios desse exercício. Bom pedal!

Publicado em

Como escolher um bom capacete de bike e como ajustá-lo?

O uso de equipamentos de proteção é de extrema importância em qualquer atividade e no ciclismo não é diferente. O capacete é um dos equipamentos de proteção mais comuns e tem papel muito importante na sua segurança.  Igualmente importante, é saber escolher e ajustá-lo, a fim de obter benefício total do mesmo. Muitos praticantes dispensam o uso do capacete por diversas questões, seja pela aparência, falta de costume ou desconforto. Estes, podem ser causados pelo ajuste irregular.

Vamos te ajudar com estas questões com algumas dicas.

Escolhendo o modelo

Obviamente, o modelo de capacete ideal vai variar de acordo com a modalidade de ciclismo que você vai praticar. Aqui em específico, vamos utilizar o capacete para Mountain Bike/Cross Country/passeio como exemplo, mas algumas destas dicas também poderão ser aplicadas a outros modelos.

Capacete para Mountain Bike

Um bom capacete deve oferecer um equilíbrio entre proteção, cobertura, ventilação e conforto. A combinação destes fatores irá lhe proporcionar os benefícios necessários.

Vamos analisar o que cada um destes fatores significa.

Proteção

Ao adquirir um equipamento de proteção, o principal benefício que você está procurando, obviamente, é a proteção. Isso depende de vários aspectos, que acaba por abranger a combinação dos fatores mencionados na seção acima (cobertura, ventilação e conforto).

Deve-se levar em consideração o material e processo utilizado na fabricação do capacete. Há uma variedade de materiais, cada qual com sua característica específica, como peso, densidade e até resistência.

A grande maioria dos capacetes é fabricado em EPS – poliestireno expandido, fibra de vidro ou plástico. Outros materiais ainda podem ser utilizados, mas esta é uma variável que depende do fabricante. O importante é que o capacete seja desenvolvido para absorver impactos.

Como as tecnologias, processos e materiais de fabricação que muito influenciam no desempenho, também influenciam no preço, o ideal é analisar o que você procura. Que tipo de modalidade você pretende praticar? O que você procura num capacete? Quanto deseja investir?

Depois de definir estas questões, a dica que pode ser aplicada a todos os tipos de capacete é verificar se o mesmo possui certificados de qualidade. Lembre-se, não escolha um produto apenas pelo preço, afinal, o capacete é um investimento!

Cobertura

Ainda no que diz respeito à proteção, o capacete ideal deve oferecer uma cobertura considerável. De nada adianta usar capacete se ele cobre somente uma pequena parte da sua cabeça.

Os capacetes de Mountain Bike são “abertos” e não envolvem todo o crânio, pois parte-se do princípio que esta modalidade não oferece altíssimos riscos por não envolver alta velocidade, saltos e outras situações de perigo.

Ventilação

Um bom capacete deve oferecer ventilação adequada. Esta não é somente uma questão de conforto, mas de saúde, pois é preciso considerar a transpiração que o couro cabeludo necessita durante a realização de um exercício.

Por isso, procure um capacete com diversas entradas e saídas de ar, proporcionando assim a ventilação adequada.

Conforto

Como já mencionado anteriormente, os 4 fatores (proteção, cobertura, ventilação e conforto) se completam, já que as coberturas ideais aliadas à ventilação adequada oferecem conforto, e por consequência, proteção.

Na questão do conforto, é preciso considerar tanto o encaixe do capacete na cabeça quanto suas fitas de fixação. O capacete deve permanecer firme na cabeça sem apertar em nenhum dos lados. O ideal é que mesmo sem as fitas, o capacete permaneça na sua cabeça, embora você deva utilizá-lo com todos os itens de segurança.

O tamanho também é muito importante para a proteção e conforto. Para encontrar o seu tamanho ideal, meça a circunferência do seu crânio com uma fita métrica, 2,5cm acima de sua sobrancelha. Depois, veja se há compatibilidade com os tamanhos informados pelo fabricante.

Ajuste do capacete

Não somente é preciso usar o capacete, mas saber usá-lo corretamente, o que lhe proporcionará conforto e proteção adequada.

A maioria dos capacetes oferecidos no mercado atualmente possuem um dispositivo de regulagem na parte de trás. Este, deve estar corretamente ajustado às suas necessidades e não deve estar apertado ou folgado. Deve manter o seu capacete na posição central e firme, o que auxiliará ao mantê-lo no lugar em trepidações, por exemplo.

As fitas de fixação também devem estar corretamente ajustadas ao tamanho que você precisa. Sua orelha deve ficar no meio do “triângulo” lateral e a ponta de encontro destas duas faixas devem estar logo abaixo da orelha, próximo à sua mandíbula.

A parte que oferece suporte à parte superior deve passar abaixo do seu queixo e não deve ficar firme e nem muito solta. O recomendado é ter uma folga de 2 à 3 dedos, o que será suficiente para manter o capacete na sua cabeça e não lhe causar desconforto.

Após considerar todos estes fatores, você certamente terá um ótimo equipamento que lhe proporcionará uma proteção adequada.

Se ainda tem dúvida sobre qual o melhor capacete para você, visite uma de nossas lojas e converse com nossos técnicos, eles vão ajudar na melhor escolha e na qualidade.